Ir para conteúdo


Foto

Análise: sociedade não se vê em cultura do estupro, mas condena mulher por sexo

NOT TUMBLR AGAIN

  • Por favor, faça o login para responder
77 respostas neste tópico

#31 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 12/06/2016 - 19:17:29

Que mané censura. Nem sei como você conseguiu interpretar censura aí nesse meu texto. Tentar mudar nossos hábitos não é querer tirar a liberdade de ninguém e isso também não faz distinção de ideologia.

Aí tudo bem. Trabalhar para mudar uma realidade local sem tentar impôr seus pontos de vista eu acho válido. Não seria uma intervenção, mas sim um auxílio, pois intervir implica em se impôr, em interferir de forma forçada em um local, o que não acho certo.

 

Será que foram mesmo as escolhas individuais ou será que foram as oportunidades? Todos os estudos sociais apontam para as oportunidades, a não ser que você esteja afirmando isso por ter algum tipo de conhecimento e experiência de campo que transcende nossos conhecimentos.

Os estudos apontam pela falta de oportunidades, mas a falta de oportunidade se dá por uma falta de investimentos no local, e esta falta de investimentos se dá pela falta de incentivos políticos e financeiros para que as oportunidades surjam, e esta falta de incentivos políticos e financeiros se dá pela falta de atuação dos políticos para preparar e viabilizar estes incentivos. E quem elege estes políticos? Vale a reflexão.

É como diz o ditado: 

Imagem Postada

 

 Interpretando errado(de novo) por descuido ou por desonestidade? Se alguém é rico é porque teve oportunidades no decorrer da sua vida para chegar a esse patamar ou simplesmente já nasceu assim. Não existe meritocracia quando o ponto de partidas são extremos, realidades discrepantes. Só não enxerga isso aquele que não quer ver. As pessoas são sim vítimas de sua realidade, teriam culpa se ter nascido e crescido em tal realidade fosse fruto apenas de sua própria escolha, mas não é. 

Claro que há meritocracia. Como eu disse, a vida não é justa e ninguém pode escolher como nasceu, mas cabe a cada um se utilizar das ferramentas e habilidades que possuem para prosperar, afinal:

Imagem Postada

Todos possuem alguma capacidade, algum talento, e é trabalho de cada um fazê-lo florescer. Muitas vezes uma pessoa pode ter todas as ferramentas possíveis para realizar um trabalho e falhar, enquanto outra poder ter um punhado e conseguir realizar feitos muito maiores. O sucesso pode vir de qualquer lugar assim como qualquer um pode fracassar, afinal há inúmeros casos na história de pessoas que saíram do nada e se tornaram bem sucedidas, assim com há inúmeros casos de pessoas que tinham tudo e acabaram como Mendigos.

 

Só consegue o sucesso quem busca, apesar que buscar o sucesso não garante que você o vai conseguir.

 

Eles fazem mudança, mas o resultado muitas vezes não vai muito além da pobreza. Você está limitado a mudança entre miséria ou sucesso. Se uma pessoa se esforça dentro de uma favela para conseguir bens, mas ainda não é o suficiente para ela escolher um bairro melhor, não significa que ela está parada sem fazer nada. O natural de todo o ser humano é buscar melhores condições de vida e conforto e isso não acontece de uma hora para outra. Como você sabe que os moradores das favelas hoje são os mesmos de 20 anos atrás? Muita gente deve ter saído e em contra partida muitos outros devem ter entrado. As questões financeiras não são assim preto no branco como você aparenta sugerir, mas sim um degradê. Se alguém que passava fome e morava na rua consegue depois de alguns anos uma casa na favela, ela não é acomodada. Você não pode querer que elas apostem tudo com uma vida no esporte ou virar um empresário porque um ou outro conseguiu, sabe-se lá se foi mesmo de maneira honesta e fruto apenas do seu próprio esforço. Um pobre que trabalha, economiza e consegue ficar menos pobre ainda é um pobre e ele não está acomodado por ser pobre.

Não, você está limitando, e ainda está desviando demais do assunto. Veja que alguns posts atrás eu disse que estas pessoas que ganham a vida de forma honesta em meio à uma realidade difícil deveriam ser exaltadas, mesmo que na maioria das vezes este não traga grandes melhorias. Sucesso ou fracasso não se resume apenas às condições financeiras, mas sim à um estado de felicidade dentro de uma legalidade, e nem estar em uma favela é sinal de fracasso se a pessoa estiver feliz e satisfeita com a situação atual, e trabalhando para ao menos mantê-la. É um processo lento e que talvez nunca se complete, mas só por estar tentando já é um exemplo de pessoa do bem. O Adriano é um caso de pessoa que ganhou milhões mas nunca saiu de sua favela, então dá para dizer que ele foi um fracasso? Claro que não, muito pelo contrário.

 

O que eu critico são aqueles que cometem um crime e se eximem, ou tentam amenizar sua própria culpa jogando-a para sua situação social ou financeira, e critico mais ainda aqueles que compram este discurso. E também critico aqueles que ficam parados, sem trabalhar ou contribuir de alguma forma, apenas jogando a culpa de seus próprios fracassos nos políticos, na sociedade, nos empresários e no sei-lá-mais-o-quê, sem olhar para o seu próprio umbigo.

 

Se a pobreza chegar a "doer" para o indivíduo eu duvido muito que ele esteja satisfeito com sua condição. E mesmo que a situação dessas pessoas seja culpa apenas do próprio indivíduo, não devemos deixá-lo como está como se isso se tratasse de um castigo/punição por não ter tido sucesso econômico.

Concordo, e é por isso que critico a sociedade por tentar transferir a responsabilidade de seus erros, de seus problemas. Para podermos corrigir estes problemas, primeiramente precisamos admitir nossos próprios problemas e tentar arrumá-los, para então podermos ajudar estes indivíduos. Enquanto continuarmos transferindo a responsabilidade para objetos inanimados e expressões culturais, não teremos como ajudar em nada. 

 

Nem todos têm a opção de se mudar, não legalmente. Querer que os pobres vaguem por aí como nômades é a pior proposta que eu já ouvi, só serve para fomentar as imigrações ilegais que podem trazer resultados ainda piores para a nossa sociedade. Como eu disse antes, alguém sem estudo não vai conseguir nada em outro estado e muito menos em outro país.

Você pode ir para o país todo e para diversos outros países ao redor de forma legal e regular sem qualquer impedimento. Ninguém precisa ir para um Estados Unidos da vida, por que não tentar um Mato Grosso, uma Roraima, uma Argentina ou um Chile? Olha o Chile, crescendo da forma que está, é uma terra de oportunidades atualmente.

E é possível eles conseguirem outras coisas em outros países, já exemplifiquei isto. Não é fácil? Nem um pouco. A chance de dar errado é grande? É sim. Mas para quem não tem nada a perder, por quê não? 

 

Você mostrou a exceção. Quando o assunto é esse todo mundo apela para as exceção, mesmo quando você mesmo não conquistou nada comparado a elas e é cercado de muito mais oportunidades.

EU não sou a pauta do assunto, já disse minha situação e o EU não faz parte da discussão. Assim como VOCÊ também não é a pauta. A pauta é este comentário:

Bom, no meu ponto de vista é sim, pois poderia objetificar as mulheres de inumeras formas (empregada doméstica, princesa que só serve pra ser protegida, o fácil, delicado, o sem graça, a teoria sempre ficam com as mulheres, e por aí vai), mas eles objetificam as mulheres quase sempre de forma sexual. Ao fazer isso, colocam na mente dos indivíduos que a função das mulheres na sociedade é dar o rabo, quem curte esse tipo de letra, gosta de uma sacanagem, e os limites dessas sacanagens vão sendo extrapolados a cada nova música que vai surgindo, é com o tempo, quanto mais você escutar merda, mais você vai passar a achar que a merda é a realidade. Vai negar isso também? 

Sobre as exceções, são como eu disse: Eles são exemplos de que é possível, tem que serem exaltados.

 

Agora, se o indivíduo vive numa comunidade onde há situações onde o estupro é visto com banalidade, há muita impunidade, as letras das músicas e seu círculo de amigos entendem que há situações que é bom estuprar, como quando estão bêbadas, no baile funk ou no carnaval. Independente se sua mente é forte ou não, para freiar todo o tipo de vontade é sempre necessário um motivo, e com a banalização e o incentivo, nada freia a vontade do estuprador, que vai estuprar mesmo sem sentir peso na consciência, e a moça não vai fazer nada pois é essa as circunstâncias em que ela vive. Essa é a cultura dela, onde ela não pode sair na rua de madrugada, vestida minimamente sem ser estuprada.

 

Portanto a cultura do estupro existe sim, não no Brasil inteiro. Onde eu vivo, não conheço nenhum "estuprador em potencial", ninguém estupraria em nenhuma circunstância. Mas nossa cultura não é a mesma que a deles, e essa cultura precisa ser mudada.

Aí é que está: O problema está na impunidade. Quando há impunidade, as pessoas propensas a este ato vêem isto como exemplo incentivo a também praticar, e com o tempo e a continuidade desta impunidade algo se torna banal e corriqueiro da sociedade local.

 

Veja o caso da Noruega nos anos 90. Com o rápido e forte surgimento do cenário de Black Metal Norueguês, que trouxe consigo letras anticristãs, apologia à violência, ao satanismo, criou-se círculos de metaleiros que atacavam e assassinavam cristão e membros do clero, além de cometer atos terroristas e queimar igrejas centenárias. Mas quando passou-se a punir estes agressores e a prender todos os cabeças deste movimento, esses ataques simplesmente cessaram. 

 

Mas a cultura do Black Metal diminuiu? Muito pelo contrário, esta se espalhou por toda a Escandinávia e acabou se tornando o principal estilo de Black Metal no mundo. Mas então o porquê de ter parado os ataques se a cultura se difundiu? Simplesmente porque as pessoas que praticavam os crimes eram exemplarmente punidas, o que fez com que o resto passasse a ter receio de ter a punição, que para eles era certeira, e parassem com estas práticas. Os agressores foram contidos, e a cultura se difundiu se causar outros prejuízos.

 

No Brasil o caso é um pouco mais complexo pois o estupro está atrelado à outros crimes, como tráfico e assassinato. Mas a partir do momento que demonstrarmos que a nossa justiça funciona, que a polícia é eficiente e que o crime é punido e não compensa, estes casos irão diminuir não só na comunidade, mas no país todo, independentemente se as expressões culturais que fazem apologia a estes crimes ficarem mais populares ou não.

 

Vou só falar sobre isso, o resto creio que não precisa, você ja expôs o que pensa e eu também, só essa questão que não ficou muito clara, então eu vou explica-la, serei breve...

 

Coisas boas: colaboram com a estruturação da sociedade humana não importa se você goste ou não. (ou que pelo menos 85% das pessoas considerem que colabora obs: essas pessoas não podem ser totalmente alienadas, bestializadas, e etc pessoas bestializadas não entram nessa estatistica)

 

Coisas ruins: prejudicam a estruturação da sociedade humana não importa se você goste ou não. (ou que pelo menos 85% das pessoas considerem que piora  obs: essas pessoas não podem ser totalmente alienadas, bestializadas, e etc pessoas bestializadas não entram nessa estatística)

A partir do momento que você coloca "[color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;]que pelo menos 85% das pessoas considerem que colabora"[/color][color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;], isto se chama Senso Comum, aonde um grupo de pessoas ou uma sociedade aceita isto como uma verdade ao seu ambiente. [/color][color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;]E isto é basicamente o oposto do conceito central de Senso Crítico, afinal [/color][color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;]o conceito central de Senso Crítico é basicamente ir contra o Senso Comum.[/color]

 

Coisas que comprovadamente prejudicam a estruturação da sociedade humana: (e aqui te convido a escrever se quiser)

 

Coisas que comprovadamente estruturam a sociedade humana: (e aqui te convido a escrever também)

Não dá para definir. Cada sociedade tem uma estruturação muito diferente, são conceitos diferentes que irão fazer a sociedade progredir, conceitos estes que podem não ser aplicáveis à outros tipos de sociedades. 



#32 Flame Haze

Flame Haze
  • Guests

Postado 12/06/2016 - 20:18:12

Super Solaris, malz cara, eu apaguei meu comentário porque depois eu achei que tinha ficado uma bosta, mesmo assim, obrigado por responder.



#33 Marmita TH

Marmita TH

    berimbau

  • Membros do Fórum
  • 376 posts

Postado 12/06/2016 - 21:03:03

Os estudos apontam pela falta de oportunidades, mas a falta de oportunidade se dá por uma falta de investimentos no local, e esta falta de investimentos se dá pela falta de incentivos políticos e financeiros para que as oportunidades surjam, e esta falta de incentivos políticos e financeiros se dá pela falta de atuação dos políticos para preparar e viabilizar estes incentivos. E quem elege estes políticos? Vale a reflexão.

 
Não é só isso, cara. Putz, é tão difícil enxergar que os problemas humanos estão além do governo? Mesmo duas pessoas da mesma classe social, do mesmo bairro e que estudaram na mesma escola podem ter futuros totalmente diferentes. O indivíduo não tendo a oportunidade de crescer em um lar bem estruturado já é o suficiente para acabar com o futuro dele, mesmo sendo rico e de família tradicional. Não é um questão de corrupção ou investimentos, são as engrenagens sociais que nos movem e que acarretam esses problemas. Ignorar isso e aceitar que a culpa é só do próprio indivíduo que sequer teve a opção de escolher sua realidade é o cúmulo da ignorância.
 

Todos possuem alguma capacidade, algum talento, e é trabalho de cada um fazê-lo florescer. Muitas vezes uma pessoa pode ter todas as ferramentas possíveis para realizar um trabalho e falhar, enquanto outra poder ter um punhado e conseguir realizar feitos muito maiores. O sucesso pode vir de qualquer lugar assim como qualquer um pode fracassar, afinal há inúmeros casos na história de pessoas que saíram do nada e se tornaram bem sucedidas, assim com há inúmeros casos de pessoas que tinham tudo e acabaram como Mendigos.
 
Só consegue o sucesso quem busca, apesar que buscar o sucesso não garante que você o vai conseguir.

 
Claro que temos habilidades e talentos, o mundo ao redor do indivíduo que pode ou não ser favorável para suas conquistas e é justamente essa a questão. Fracasso não é algo que depende inteiramente do indivíduo, você está desconsiderando centenas de variáveis e tentando encaixar nossa realidade em um discurso medíocre de conquistas e fracassos. Não existe meritocracia porque além dos pontos de partidas serem diferentes, o que leva alguém a ter conquistas são privilégios na vida que transcendem seu próprio esforço e força de vontade.
 

Não, você está limitando, e ainda está desviando demais do assunto. Veja que alguns posts atrás eu disse que estas pessoas que ganham a vida de forma honesta em meio à uma realidade difícil deveriam ser exaltadas, mesmo que na maioria das vezes este não traga grandes melhorias. Sucesso ou fracasso não se resume apenas às condições financeiras, mas sim à um estado de felicidade dentro de uma legalidade, e nem estar em uma favela é sinal de fracasso se a pessoa estiver feliz e satisfeita com a situação atual, e trabalhando para ao menos mantê-la. É um processo lento e que talvez nunca se complete, mas só por estar tentando já é um exemplo de pessoa do bem. O Adriano é um caso de pessoa que ganhou milhões mas nunca saiu de sua favela, então dá para dizer que ele foi um fracasso? Claro que não, muito pelo contrário.
 
O que eu critico são aqueles que cometem um crime e se eximem, ou tentam amenizar sua própria culpa jogando-a para sua situação social ou financeira, e critico mais ainda aqueles que compram este discurso. E também critico aqueles que ficam parados, sem trabalhar ou contribuir de alguma forma, apenas jogando a culpa de seus próprios fracassos nos políticos, na sociedade, nos empresários e no sei-lá-mais-o-quê, sem olhar para o seu próprio umbigo.

 
Ué, mas quem são essas pessoas? Antes eram as exceções e agora você adaptou seu discurso á aquelas que saíram da merda até à cabeça para a merda até o pescoço. Voltando de novo para a questão da culpa, poxa Solaris! A questão não é amenizar ou desculpabilizar ninguém, é apenas reconhecer os problemas enraizados na nossa sociedade que precisam e são passíveis de mudança. Achar que o que leva o indivíduo a crimes é fruto apenas de sua próprio escolha e discernimento não vai nos tirar desse ciclo vicioso.
 

Concordo, e é por isso que critico a sociedade por tentar transferir a responsabilidade de seus erros, de seus problemas. Para podermos corrigir estes problemas, primeiramente precisamos admitir nossos próprios problemas e tentar arrumá-los, para então podermos ajudar estes indivíduos. Enquanto continuarmos transferindo a responsabilidade para objetos inanimados e expressões culturais, não teremos como ajudar em nada.

 
a sociedade por tentar transferir a responsabilidade de seus erros, de seus problemas
primeiramente precisamos admitir nossos próprios problemas e tentar arrumá-los
 

Nossos problemas individuais ou os erros da "sociedade" em geral?

 

Você pode ir para o país todo e para diversos outros países ao redor de forma legal e regular sem qualquer impedimento. Ninguém precisa ir para um Estados Unidos da vida, por que não tentar um Mato Grosso, uma Roraima, uma Argentina ou um Chile? Olha o Chile, crescendo da forma que está, é uma terra de oportunidades atualmente.

E é possível eles conseguirem outras coisas em outros países, já exemplifiquei isto. Não é fácil? Nem um pouco. A chance de dar errado é grande? É sim. Mas para quem não tem nada a perder, por quê não? 

 

 

Solaris, você não entendeu. Para fazer isso precisamos de dinheiro e estamos falando de pessoas sem, por isso eu disse que nem todos podem. Uma pessoa que tem condição de viajar legalmente para outros países para mim não parece ter tantos problemas financeiros.

 

EU[color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;] não sou a pauta do assunto, já disse minha situação e o EU não faz parte da discussão. Assim como VOCÊ também não é a pauta. A pauta é este comentário:[/color]

 

 

Ué, você está fazendo textos tão lindos de esforço e meritocracia. Se quiser enganar alguém com isso deveria pelo menos se por como exemplo. 



#34 Thun the Forgotten

Thun the Forgotten

    The Drunken One

  • Membros do Fórum
  • 1.411 posts
  • LocationNenhum lugar em particular.

Postado 12/06/2016 - 21:28:35

Acho que estão é batendo cabeça sem motivo. Você podia muito bem diminuir esses problemas ou com punições mais efetivas ou com uma cultura que tratasse mulher como gente mais vezes do que objeto. E olha que nesse segundo todo mundo tem uma mão sobre.

 

Ouviu, Globo?



#35 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 12/06/2016 - 22:09:00

 Não é só isso, cara. Putz, é tão difícil enxergar que os problemas humanos estão além do governo? Mesmo duas pessoas da mesma classe social, do mesmo bairro e que estudaram na mesma escola podem ter futuros totalmente diferentes. O indivíduo não tendo a oportunidade de crescer em um lar bem estruturado já é o suficiente para acabar com o futuro dele, mesmo sendo rico e de família tradicional. Não é um questão de corrupção ou investimentos, são as engrenagens sociais que nos movem e que acarretam esses problemas. Ignorar isso e aceitar que a culpa é só do próprio indivíduo que sequer teve a opção de escolher sua realidade é o cúmulo da ignorância.

Sim, nunca neguei isto, aliás sempre ressaltei este ponto. Não nego os problemas da sociedade, aliás citei-os diversas vezes se você não leu, mas não acho que estes sejam problemas culturais ou ideológicos, mas sim problemas sociais em sua concepção, em sua ética e moralidade.

 

O meu ponto é que querem jogar a culpa de atos cometidos por pessoas em coisas como ideologias e expressões culturais, muitas vezes vitimizando o agressor por causa de suas condições de vida, como se isto de certa forma fizesse com que ele fosse menos culpado do que seria se tivesse em outra condição social, financeira e cultural. 

 

Agora, se uma pessoa cresceu em um lar pouco estruturado, paciência. A vida não é justa, e problemas de lar não são problemas que possam ser resolvidos pela sociedade além da conscientização dos próprios integrantes da família, mas não é isto que vai determinar ou condenar seu futuro e sim como cada um vai aproveitar as oportunidades que surgirem ao longo de suas vidas. Beethoven teve uma vida familiar bastante dura e uma infância bem sofrida, e depois ainda ficou surdo, mas mesmo assim conseguiu vencer agarrando as oportunidades em que viu uma chance de expor suas obras. Este é apenas um exemplo em vários.

 

 

Claro que temos habilidades e talentos, o mundo ao redor do indivíduo que pode ou não ser favorável para suas conquistas e é justamente essa a questão. Fracasso não é algo que depende inteiramente do indivíduo, você está desconsiderando centenas de variáveis e tentando encaixar nossa realidade em um discurso medíocre de conquistas e fracassos. Não existe meritocracia porque além dos pontos de partidas serem diferentes, o que leva alguém a ter conquistas são privilégios na vida que transcendem seu próprio esforço e força de vontade.

Acho que nem adianta continuar discutindo estes pontos pois nossas opiniões são diferentes demais. Eu acredito na meritocracia, você não. Você acredita que o sucesso e fracasso depende mais do acaso do aparecimento de oportunidades, e eu de que depende mais do esforço pela busca por estas oportunidades. Você acredita que os que tiveram sucesso devem ser tratados como exceções, e eu como exemplos.

 

Não temos como chegar em um ponto comum desse jeito.

 

Ué, mas quem são essas pessoas? Antes eram as exceções e agora você adaptou seu discurso á aquelas que saíram da merda até à cabeça para a merda até o pescoço. Voltando de novo para a questão da culpa, poxa Solaris! A questão não é amenizar ou desculpabilizar ninguém, é apenas reconhecer os problemas enraizados na nossa sociedade que precisam e são passíveis de mudança. Achar que o que leva o indivíduo a crimes é fruto apenas de sua próprio escolha e discernimento não vai nos tirar desse ciclo vicioso.

Não misture alhos com bugalhos. As exceções devem ser tratados como exemplos de que "sacudir a poeira" e tentar do zero pode trazer sucesso, e "essas pessoas" devem ser exaltados como exemplos de pessoas do cotidiano que são do bem, tem tido alguma melhora em suas vidas e que contribuem com a sociedade. Quem são estas pessoas? Os donos de bares e lanchonetes, os donos de lojas, os microempresários, os motoboys, os taxistas, as diaristas, ou seja, àqueles que ganham a vida de forma honesta. Sair da [color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;]merda até à cabeça para a merda até o pescoço é um começo, um começo que pode terminar limpando a merda toda.[/color]

 

[color=rgb(40,40,40);font-family:helvetica, arial, sans-serif;]O meu problema não é em atribuir parte do erro para a sociedade, mas sim atribuí-los à cultura (Funk e afins) e ao entretenimento (videogames, filmes e afins). Ter este tipo de atitude ignorando o resto só vai aumentar o ciclo vicioso. Voltando ao assunto do tópico, eu não acho que seja uma "cultura do estupro", mas sim que as pessoas propensas ao estupro se sentem mais seguras em cometer o crime e saírem ilesas pro causa da impunidade e encontraram no Funk uma forma de justificarem seus atos e esconderem esta sua propensão. Se não tivesse o Funk, tenho certeza que teriam encontrado outro bode expiatório para isto.[/color]

 

 a sociedade por tentar transferir a responsabilidade de seus erros, de seus problemas

primeiramente precisamos admitir nossos próprios problemas e tentar arrumá-los
 

Nossos problemas individuais ou os erros da "sociedade" em geral?

Ambos, já citei este problemas anteriormente. 

 

Solaris, você não entendeu. Para fazer isso precisamos de dinheiro e estamos falando de pessoas sem, por isso eu disse que nem todos podem. Uma pessoa que tem condição de viajar legalmente para outros países para mim não parece ter tantos problemas financeiros.

Você não precisa de mais dinheiro para sair do Sudeste e ir para a Argentina do que precisaria para sair do Norte e Nordeste e se instalar no Sul e Sudeste, algo que aconteceu e ainda acontece.

E quem disse que as únicas opções são outros países? Eu deixei bem claro que outras regiões do país, como o Mato Grosso ou Rondônia também são válidos. Ou até mesmo outras regiões dentro do próprio estado.

 

 

Ué, você está fazendo textos tão lindos de esforço e meritocracia. Se quiser enganar alguém com isso deveria pelo menos se por como exemplo. 

Duas coisas:

1) Eu não tive este nível de sucesso, mas me esforço do jeito que julgo melhor pois acredito nisto que falei. Se você acha que isto é "enganar", é um direito seu. Eu só lamento.

2)Este não é o assunto em pauta, e acredito que tenhamos desviado demais do assunto, então gostaria de recomeçar. Então por favor, leia o quote abaixo, em especial o que está em negrito:

Bom, no meu ponto de vista é sim, pois poderia objetificar as mulheres de inumeras formas (empregada doméstica, princesa que só serve pra ser protegida, o fácil, delicado, o sem graça, a teoria sempre ficam com as mulheres, e por aí vai), mas eles objetificam as mulheres quase sempre de forma sexual. Ao fazer isso, colocam na mente dos indivíduos que a função das mulheres na sociedade é dar o rabo, quem curte esse tipo de letra, gosta de uma sacanagem, e os limites dessas sacanagens vão sendo extrapolados a cada nova música que vai surgindo, é com o tempo, quanto mais você escutar merda, mais você vai passar a achar que a merda é a realidade. Vai negar isso também? 

Você concorda com esta argumentação?



#36 Flame Haze

Flame Haze
  • Guests

Postado 13/06/2016 - 04:43:33

 

 

Uma outra diferença fundamental: Me parece que para você algo ser bom ou ruim é uma verdade universal e absoluta. Não, bom ou ruim, bem ou mal são conceitos completamente subjetivos e pessoais, que dependem muito do indivíduo e de seu ambiente ao redor. Dizer que o senso crítico é uma coisa só é a mesma coisa que dizer que senso crítico = senso comum, o que é completamente o oposto do real significado de senso crítico.

 

O que você está sugerindo é simplesmente censura, e isto é a coisa que eu mais abomino no mundo e não aceito sob qualquer hipótese. Simplesmente porque cultura, ideologia e afins são conceitos subjetivos demais para isto, e o que pode ser benéfico para você pode ser maléfico para mim e vice-versa. Claro que temos que manter algumas regras para que a sociedade se mantenha ordenada e coesa (Direitos humanos, por exemplo), mas estas regras também devem garantir a liberdade de cada um sem que a de um interfira na de outro.

Se uma expressão cultural ou ideológica não interfere diretamente com a liberdade alheia não podemos e não devemos interferir com o que faz alguém se sentir bem e/ou completo. O que podemos fazer é conscientizar as pessoas de que certas práticas podem ser maléficas e mostrar as pessoas que o crime não compensa e que os criminosos são punidos, mas nunca impôr isto à elas.

 

Agora sim, respondendo ao Solaris. Eu penso que existem coisas que são boas, coisas que são ruins e coisas que são relativas. Você não pode de jeito nenhum relativizar pedofilia, estupro, assassinato, fome, escravidão (e mais algumas outras coisas que devo estar me esquecendo de mencionar). Essas coisas são ruins, e quem pensar o contrário está com um parafuso a menos. É um pouco ditador da minha parte dizer isso? Se for eu realmente não me importo que me veja assim como um ditador, porque essas coisas são absolutamente erradas, absolutamente ruins, em nenhum lugar do mundo, sob nenhuma hipótese devem ser relativizadas. Quando eu falei que os funkeiros dessas comunidades não tem senso crítico me referi mais a essas coisas, ou seja, quando passam a considerar que estupro é uma coisa boa. Isso não pode ser relativizado em hipótese alguma. 

 

Agora, sobre o post que eu escrevi e depois apaguei, escrevi aquilo pois estava pensando em outra coisa XD... pensava em como seria muito mais simples se fossemos classificar as coisas em boas e ruins de acordo com o senso comum. De certo modo o senso comum pode ser considerado bom já que a maioria sai satisfeita. Lembro que quando joguei The Witcher 3 eu sempre pensava no que seria melhor para a maioria antes de tomar as decisões de matar ou não determinada criatura(foi fazendo isso o jogo todo que consegui o melhor final logo de primeira). Por exemplo, a vez que poupei a vida de um monstro que fingia ser deus pois todos os moradores da vila acreditavam realmente que ele era um deus, faziam oferendas a ele, e ficavam muito felizes com os conselhos que recebiam desse falso deus, então eu fui pelo bem comum pois foi o que eu julguei ser o mais correto naquela situação, e acabei poupando a vida dele, o argumento dele de que ''pelo menos ele está ajudando as pessoas'' foi o suficiente pra me convencer, e existiram outras situações também XD Mas enfim... Isso é outro assunto.

 

Resumindo o segundo paragrafo: aquela hora eu tava pensando em como seria mais pratico decidir as coisas através do senso comum, mas haveria pontos fracos como quase tudo na vida... no caso, o ponto fraco de se fazer decisões pelo senso comum é a manipulação de quem possui poder de comunicação abrangente e incisivo. As grandes mídias por exemplo. Mas claro, pra alguém como você que não acredita (ou pelo menos me fez entender assim) em manipulação, indução e que atribui toda a culpa das burradas dos seres humanos a sua própria sem-vergonhice (me corrija se eu tiver entendido errado), pautar as coisas pelo senso comum deveria ser uma boa idéia, não?)

 

E super discordo disso que você escreveu:[color=#008000;] "[font="helvetica, arial, sans-serif;"]A partir do momento que você coloca [/color]"que pelo menos 85% das pessoas considerem que colabora"[font="helvetica, arial, sans-serif;"], isto se chama [/font]Senso Comum, aonde um grupo de pessoas ou uma sociedade aceita isto como uma verdade ao seu ambiente. E isto é basicamente o oposto do conceito central de Senso Crítico, afinal o conceito central de Senso Crítico é basicamente ir contra o Senso Comum." [/font]ou seja, não vejo assim, que eu saiba senso crítico e senso comum são coisas totalmente diferentes. Inclusive existem coisas que são percebidas fazendo uso do senso crítico e que a maior parte das pessoas já percebeu tambem mesmo que boa parte delas tenha percebido isso por modismo, manipulação, indução ou simplesmente copiar os outros (os famosos principalmente) e não por ter senso crítico, por exemplo: praticar exercícios físicos com moderação é saudável, é uma coisa que quem faz uso do senso crítico percebe justamente isso, que é saudável, que faz bem (exceto no caso de vc ter algum problema físico e mais alguns outros tipos de casos) e também é do senso comum, pois virou moda, com tanta indução tanta manipulação da mídia com imagens, conteúdos, notícias, temas sobre isso, principalmente por parte da rede Globo, hoje o Brasileiro é o segundo no mundo que mais se preocupa com a saude corporal. Não lembro onde foi que vi esse dado estatístico, mas é real. 

 

PS: puis de verde o que você disse porque você é Palmeirense :P



#37 Marmita TH

Marmita TH

    berimbau

  • Membros do Fórum
  • 376 posts

Postado 13/06/2016 - 07:56:12

Super Solares Você torna a afirmar que reconhecer que existem esses problemas e combatê-los é uma tentativa de eximir as vítimas dessa realidade por fazer algo errado. Ninguém aqui quer inocentar criminosos, só estou tentando explicar o porque de acontecerem crimes, mostrando um contra ponto à sua ideia de que ainda temos muitos criminosos por conta da impunidade. Eu deixei claro que para indivíduos sem perspectiva de futuro não há punição que resolva e em vez de dizer o porque estou errado, você desviou o assunto para os motivos que levaram o indivíduo a não ter essa perspectiva e concluiu que isso é fruto apenas de suas próprias escolhas. Isso nem mesmo é um contra argumento ao que eu disse, se esses indivíduos são assim, não importa o que você acha que seja a causa, não valida o seu argumento de que a impunidade é o motivo principal disso tudo. Mesmo nos países de primeiro mundo, com sistemas melhores e menos burocráticos, a criminalidade ainda gera discussões. Alegar que a culpa disso é apenas do próprio indivíduo é uma análise superficial e retrógrada, você só está seguindo a inércia do pensamento da sociedade, de que criminosos são vagabundos porque querem e se recusa a parar e refletir sobre os motivos que levaram esses criminosos a serem assim. A cultura do estupro não está tão contida assim no meu discurso, mas só por achar que ela só diz respeito ao ato de estuprar já demonstra que você não entende muito do tema. Essa cultura é um problema principalmente porque leva as mulheres a terem medo de denunciar o crime e o porque disso eu deixo para você mesmo pesquisar e ver tudo com os próprios olhos, não estou tão afim de debater isso. "Não precisa de mais dinheiro..." Mas ainda precisa de algum dinheiro. O problema das exceções é que você não pode dar nenhuma garantia de que o sucesso dessas pessoas é fruto apenas da própria força de vontade, você não estava lá observando toda essa trajetória e também não tem nenhuma prova de que tudo aconteceu pelos motivos que você citou. Se essas pessoas tem conquistas, parabéns a elas, mas não espere que outros tenham a mesma sorte. Meritocracia não existe por uma questão de privilégios, e as oportunidades por si só são privilégios. Você mesmo disse que alguns que ralam mais que outros são passíveis de ainda assim ter conquistas menores, se o esforço é a chave, o que faltou para esse cara que ralou mais? Não é questão de opinião, são fatos e só se ilude quem quer ser iludido.

#38 Johnny Kapahala

Johnny Kapahala

    ora essa

  • Membros do Fórum
  • 35 posts

Postado 13/06/2016 - 15:58:40

Aí é que está: O problema está na impunidade. Quando há impunidade, as pessoas propensas a este ato vêem isto como exemplo incentivo a também praticar, e com o tempo e a continuidade desta impunidade algo se torna banal e corriqueiro da sociedade local.   Veja o caso da Noruega nos anos 90. Com o rápido e forte surgimento do cenário de Black Metal Norueguês, que trouxe consigo letras anticristãs, apologia à violência, ao satanismo, criou-se círculos de metaleiros que atacavam e assassinavam cristão e membros do clero, além de cometer atos terroristas e queimar igrejas centenárias. Mas quando passou-se a punir estes agressores e a prender todos os cabeças deste movimento, esses ataques simplesmente cessaram.    Mas a cultura do Black Metal diminuiu? Muito pelo contrário, esta se espalhou por toda a Escandinávia e acabou se tornando o principal estilo de Black Metal no mundo. Mas então o porquê de ter parado os ataques se a cultura se difundiu? Simplesmente porque as pessoas que praticavam os crimes eram exemplarmente punidas, o que fez com que o resto passasse a ter receio de ter a punição, que para eles era certeira, e parassem com estas práticas. Os agressores foram contidos, e a cultura se difundiu se causar outros prejuízos.   No Brasil o caso é um pouco mais complexo pois o estupro está atrelado à outros crimes, como tráfico e assassinato. Mas a partir do momento que demonstrarmos que a nossa justiça funciona, que a polícia é eficiente e que o crime é punido e não compensa, estes casos irão diminuir não só na comunidade, mas no país todo, independentemente se as expressões culturais que fazem apologia a estes crimes ficarem mais populares ou não.

 

O problema está muito longe de ser só impunidade. Estados Unidos tem um sistema punitivo bem mais competente e sério que o Brasil: taxa de homicídios 4x menor. Estupros? Quase o dobro.

 

Compare as punições para o estupro nos países ocidentais com as punições na Arábia Saudita, onde os casos de estupro são raríssimos. Irá se surpreender.

 

Sobre o Black Metal... Existem alguns países em que é permitido matar cristãos e queimar igrejas e, acredite: esses países não tem problema de impunidade



#39 Radical893

Radical893

    Sua Majestade chegou.

  • Membros do Fórum
  • 309 posts
  • LocationAraruama, RJ

Postado 13/06/2016 - 23:36:18

Só acredito no homem que defende a tal libertinagem sexual feminina, no dia em que a filha dele ir a um baile funk de morro sem calcinha, caso contrário, é apenas mais um demagogo.



#40 Adonai

Adonai

    ~ ::- Nothing -:: ~

  • Membros do Fórum
  • 616 posts
  • LocationEm todo lugar

Postado 14/06/2016 - 01:26:13

Compare as punições para o estupro nos países ocidentais com as punições na Arábia Saudita, onde os casos de estupro são raríssimos. Irá se surpreender.

Quando você tem um estado baseado no islamismo onde é legalizado casar e transar com crianças de nove anos, onde desde que casado o homem pode comer a mulher quando quiser e se ela não quiser deixar é punida judicialmente por desobediência ao marido, e onde caso você estupre uma mulher com a qual não é casado, basta você se casar com ela para ter plenos direitos sobre a mulher em questão, aí é fácil dizer que o estupro quase não existe.



#41 Johnny Kapahala

Johnny Kapahala

    ora essa

  • Membros do Fórum
  • 35 posts

Postado 14/06/2016 - 20:18:51

Quando você tem um estado baseado no islamismo onde é legalizado casar e transar com crianças de nove anos, onde desde que casado o homem pode comer a mulher quando quiser e se ela não quiser deixar é punida judicialmente por desobediência ao marido, e onde caso você estupre uma mulher com a qual não é casado, basta você se casar com ela para ter plenos direitos sobre a mulher em questão, aí é fácil dizer que o estupro quase não existe.

Não cara, isso nem tem na Arábia. Isso é Marrocos. Um país multi-étnico, ocidental do oeste da África, de maioria islâmica, e incidência de estupros maior. Muito diferente da Arábia Saudita, um país do oriente médio, asiático, profundamente religioso, com sua cultura, regras e normas morais todas baseadas no Islã. No mais: Índia - Legalizado casar com crianças de sete anos, permitido estuprar esposa, vítima de estupro obrigada a casar com o estuprador ou com um membro de sua família, mesmo que seja apenas uma criança.   Segundo país com maior índice de estupro do mundo Fácil dizer que o estupro quase não existe, né?  

E lá quem é que vai falar de estupro por lá? Se para os homens de lá, que são um monte de machistas, acham que as mulheres tem que aceitar isso de boa vontade. Nem precisa contar os estupros, pois os números provavelmente seriam muito grandes. Lá existe leis para traição por parte da mulher, mas lei nenhuma para estupro por parte dos homens.

Quem é que vai falar de estupro por lá? Que tal o pai de família árabe, que não pode entregar sua filha em casamento porque é considerada impura após ter sido estuprada? Ou então o estuprador, que recebe centenas de flagelos públicamente? A mulher tem que aceitar ser estuprada de boa vontade? Ela nem ao menos pode sair de casa sem a companhia de um homem! Se eles fossem contar o "número de estupros em segredo" seria muito grande, né? Vai lá tentar estuprar a filha de um árabe secretamente então. Não existem leis para o estupro? De onde você tirou isso?



#42 Flame Haze

Flame Haze
  • Guests

Postado 14/06/2016 - 22:48:57

Só sei que não sei de mais nada. 



#43 bleach

bleach
  • Membros do Fórum
  • 1.164 posts

Postado 15/06/2016 - 12:12:34

Tenho três opiniões.

  • Se a mulher der pros caras e ela tiver ciente de ter topado, não é estrupo.
  • Se a mulher der pros caras forçada, sim, é estrupo  por parte deles.
  • Agora a mulher estrupar vários caras como isso é possível, ela só pode ter ameaçado eles, me comam se não mato todo mundo.

 

Concerteza pra ser considerado estrupo da parte dela só se os caras são bando de viado e ficaram maguado e denunciaram a mulher.

 

Possa ser que não tenha nada haver com o assunto mais mesmo assim falei o que penso.



#44 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 15/06/2016 - 15:05:50

Vim aqui só pelo post to Bleach, e olha, não desapontou.

 

Tenho três opiniões.

  • Se a mulher der pros caras e ela tiver ciente de ter topado, não é estrupo.
  • Se a mulher der pros caras forçada, sim, é estrupo  por parte deles.
  • Agora a mulher estrupar vários caras como isso é possível, ela só pode ter ameaçado eles, me comam se não mato todo mundo.

 

 

Imagem Postada

 

 

 

 

Concerteza pra ser considerado estrupo da parte dela só se os caras são bando de viado e ficaram maguado e denunciaram a mulher.

 

 

 

Imagem Postada



#45 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 15/06/2016 - 16:13:22

Imagem Postada

 

 

You cannot grasp the true form of Yaranaika's attack!



#46 Estrelaura☆

Estrelaura☆

    Time + Hope = ☹

  • Membros do Fórum
  • 338 posts
  • LocationQuantum void, 1995

Postado 08/07/2016 - 21:47:36

tl;dr A cultura do estupro existe, apesar do termo empregado ser errôneo. É simplesmente o termo usado pra designar os atos sociais que jogam parte da culpa do estupro na mulher, ao mesmo tempo que paralelamente promovem objetificação da mulher e normatizam o direito da libido masculina acima de quase qualquer outro direito feminino.  Já sobre os homens serem estupradores em potencial, é outra frase propagada erroneamente, porque seu significado original era que no ponto de vista de uma mulher em uma condição desfavorável (sozinha à noite, por exemplo), todo homem seria para ela um estuprador em potencial, devido aos aspectos da tal cultura do estupro.



#47 Thun the Forgotten

Thun the Forgotten

    The Drunken One

  • Membros do Fórum
  • 1.411 posts
  • LocationNenhum lugar em particular.

Postado 09/07/2016 - 15:57:33

tl;dr A cultura do estupro existe, apesar do termo empregado ser errôneo. É simplesmente o termo usado pra designar os atos sociais que jogam parte da culpa do estupro na mulher, ao mesmo tempo que paralelamente promovem objetificação da mulher e normatizam o direito da libido masculina acima de quase qualquer outro direito feminino.  Já sobre os homens serem estupradores em potencial, é outra frase propagada erroneamente, porque seu significado original era que no ponto de vista de uma mulher em uma condição desfavorável (sozinha à noite, por exemplo), todo homem seria para ela um estuprador em potencial, devido aos aspectos da tal cultura do estupro.

 

Ainda mais tl;dr

 

Todo mundo é burro.



#48 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 20:58:26

 

tl;dr

A cultura do estupro existe, apesar do termo empregado ser errôneo. É simplesmente o termo usado pra designar os atos sociais que jogam parte da culpa do estupro na mulher, ao mesmo tempo que paralelamente promovem objetificação da mulher e normatizam o direito da libido masculina acima de quase qualquer outro direito feminino. 
Já sobre os homens serem estupradores em potencial, é outra frase propagada erroneamente, porque seu significado original era que no ponto de vista de uma mulher em uma condição desfavorável (sozinha à noite, por exemplo), todo homem seria para ela um estuprador em potencial, devido aos aspectos da tal cultura do estupro.

 

Ainda mais tl;dr

 

Todo mundo é burro.

 

Tl;dr do TL;DR do TL;DR

 

Imagem Postada

 

Burrice personificada numa imagem.



#49 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 09/07/2016 - 21:01:14

Super tl;dr

 

Imagem Postada



#50 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:01:56

Super tl;dr

 

Imagem Postada

 

Relacionado:

 

Imagem Postada



#51 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 09/07/2016 - 21:03:24

E pra finalizar

 

Imagem Postada



#52 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:05:37

Imagem Postada



#53 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 09/07/2016 - 21:07:46

Imagem Postada



#54 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:09:05

Imagem Postada

Imagem Postada

 

git redy 2 be prosecuted shitlord



#55 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 09/07/2016 - 21:10:07



#56 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:11:12



#57 El Afro Americano Locó

El Afro Americano Locó

    DOUBLE BUN HOTDOGS

  • Membros do Fórum
  • 1.013 posts
  • LocationUnknown

Postado 09/07/2016 - 21:12:10

Isso vai dar merda pessoal, eu tou avisando, eu não vou limpar isso. 

 

 



#58 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:12:56

Isso vai dar merda pessoal, eu tou avisando, eu não vou limpar isso. 

 

Você nunca limpa as merdas

 

NINGUÉM LIMPA AS MERDAS



#59 Yaranarchist

Yaranarchist

    Você acaba de começar uma arc

  • Membros do Fórum
  • 1.205 posts

Postado 09/07/2016 - 21:13:46

No momento que o Kermit postou um tópico sério sobre estupro isso já tava marcado pra dar merda tho'.



#60 Senator Kermit

Senator Kermit

    PHD em shipping

  • Membros do Fórum
  • 1.660 posts
  • LocationBrasil

Postado 09/07/2016 - 21:16:31

No momento que o Kermit postou um tópico sério sobre estupro isso já tava marcado pra dar merda tho'.

 

Olha, era meio que um momento sério meu

 

Antes dessa discussão me educar eu odiava 100% das pessoas que usavam o termo "cultura de estupro"

 

Agora, eu só odeio 80% delas






0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos