Ir para conteúdo


Foto

Tópico da Música (Discussão)


  • Por favor, faça o login para responder
153 respostas neste tópico

#31 Jota Lima

Jota Lima

    Autista extrassensorial

  • Membros do Fórum
  • 4.476 posts
  • LocationMuralha, Império do Ceará

Postado 05/05/2017 - 19:42:44

Por que todo tópico onde o Malaman aparece, há textão?



#32 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 05/05/2017 - 19:48:32

Por que todo tópico onde o Malaman aparece, há textão?

 

Depende de vários aspectos: O assunto, minha disponibilidade de tempo, a circunstância e meu humor.

 

Esse tipo de assunto, tem fortes relações ao estilo de vida que levo, e certamente há muito a ser dissertado. Ainda mais depois desse período dark que estou passando que nem eu estou me reconhecendo para falar a verdade. E a minha disponibilidade de tempo, como não estou fazendo nada agora, não há a necessidade de escrever às pressas, em compensação, escrever textão, é garantia que não deixou nenhuma informação de lado.

 

Observe esse post, conclui minhas ideias, mas não houve a necessidade de textão.



#33 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 05/05/2017 - 22:37:21

Mais ou menos. Dá para notar claramente que os artistas e fãs de funk são aquilo que as músicas dizem. 

Primeiramente, por gentileza, não generalize.

Entretanto, considerando isto que você falou, entra uma questão importante que aborda aquilo que você trouxe no início do tópico: Os artistas e fãs de Funk são assim por causa das mensagens que as suas músicas carregam, ou as musicas de Funk possuem estas mensagens por causa da personalidade e estilo de vida se seus artistas e fãs? Vale a reflexão.

 

 

Quanto ao texto relatado, isso soa um pouco como hipocrisia.

Já parou para pensar que há pessoas que curtem um estilo musical apenas por seu som, sem se importar com as letras e mensagem ao qual este está atrelado?



#34 Jvstriker

Jvstriker

    O Adolescente chato

  • Membros do Fórum
  • 511 posts
  • LocationSão Paulo- Atibaia

Postado 05/05/2017 - 23:53:44

Só digo uma coisa

Zum Zum Zum

Capoeira mata um.

Eles matam alguém?

Não. Eles não matam ninguém! São mentirosos!

E ainda incentivam a violência entre jovens,por causa do trecho

Ohh Ahh Ohh Ahh Ehh

 

Quero ver bater, quero ver cair!

 

E nos dizem que a capoeira é pacifista.

 

SHIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIITPOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSTIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIING



#35 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 06:40:39

Primeiramente, por gentileza, não generalize.

Entretanto, considerando isto que você falou, entra uma questão importante que aborda aquilo que você trouxe no início do tópico: Os artistas e fãs de Funk são assim por causa das mensagens que as suas músicas carregam, ou as musicas de Funk possuem estas mensagens por causa da personalidade e estilo de vida se seus artistas e fãs? Vale a reflexão.

 

Depende, eu diria que é um pouco dos dois:

 

Certamente, o infeliz que começou com funk no Brasil, ou ao menos, o infeliz que começou a fazer funk com esse estilo de música atual, certamente levava uma vida de puteiro, que literalmente só pensava em bater..., que é justamente o que se diz nas músicas de hoje.

 

Só que com isso, outros amigos desse infeliz começaram a gostar dessa "poesia" (Se assim podemos chamar) desse infeliz e começaram a ter influência desse gênero, então um argumento leva ao outro. Só que, ao invés de se tornar algo tão de amigos, os infelizes logo espalharam o funk por aí, até se tornar algo nacional.

 

Porém, isso não é algo exclusivo do funk, como disse no tópico, antes de eu passar para Electro-rock, eu era uma pessoa totalmente diferente, mas como comecei a me interessar por Electro-Rock, meu estilo de vida também mudou.



#36 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 12:44:23

Depende, eu diria que é um pouco dos dois:

 

Certamente, o infeliz que começou com funk no Brasil, ou ao menos, o infeliz que começou a fazer funk com esse estilo de música atual, certamente levava uma vida de puteiro, que literalmente só pensava em bater..., que é justamente o que se diz nas músicas de hoje.

 

Só que com isso, outros amigos desse infeliz começaram a gostar dessa "poesia" (Se assim podemos chamar) desse infeliz e começaram a ter influência desse gênero, então um argumento leva ao outro. Só que, ao invés de se tornar algo tão de amigos, os infelizes logo espalharam o funk por aí, até se tornar algo nacional.

É aí que você se engana, pois o Funk Carioca nem sempre teve esse tipo de letra.

 

Esse gênero musical surgiu nos anos 80, e era bastante parecido com o Hip Hop e Soul na temática, com as letras falando principalmente de injustiça social, empoderamento negro, vida de pobreza na favela, violência local e outras críticas à sociedade e afins.

À partir do final do anos 80 e início dos anos 90 com a chegada do Miami Bass no Brasil, o Funk começou a ter um cunho mais romântico, evidenciado por músicos como Latino, Caludinho e Buchecha, Sampa Crew, Naldo e Lula, etc que acabou criando o Funk Melody, que é focado no romance e amor. Por outro lado, surgiu também o Funk Proibidão, que manteve a temática mais obscura e crítica do seu estilo original, só que focando mais no Crime e Tráfico de Drogas nas favelas.

Foi apenas no final dos anos 90 que surge o New Funk, um subgênero que possui uma conotação mais sexual, com grupos como Bonde do Tigrão e Tati Quebra-Barraco, aos poucos levando esta temática ao extremo que conhecemos hoje em dia. O Funk Ostentação mesmo, só existe à uns 10 anos.

 

Ou seja, para o Funk se tornar o que ele é hoje, não foi algo assim "do nada" ou repentino, mas sim um desenvolvimento lento e gradual, que demorou mais de 20 anos para se concretizar. É dessa forma que música em geral evolui, e o Funk Carioca não foi exceção.

 

Porém, isso não é algo exclusivo do funk, como disse no tópico, antes de eu passar para Electro-rock, eu era uma pessoa totalmente diferente, mas como comecei a me interessar por Electro-Rock, meu estilo de vida também mudou.

Já parou para pensar que talvez você seja uma exceção, e que geralmente uma mudança de estilo musical não causem mudanças de comportamento e estilo de vida?



#37 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 14:59:08

É aí que você se engana, pois o Funk Carioca nem sempre teve esse tipo de letra.

 

Esse gênero musical surgiu nos anos 80, e era bastante parecido com o Hip Hop e Soul na temática, com as letras falando principalmente de injustiça social, empoderamento negro, vida de pobreza na favela, violência local e outras críticas à sociedade e afins.

À partir do final do anos 80 e início dos anos 90 com a chegada do Miami Bass no Brasil, o Funk começou a ter um cunho mais romântico, evidenciado por músicos como Latino, Caludinho e Buchecha, Sampa Crew, Naldo e Lula, etc que acabou criando o Funk Melody, que é focado no romance e amor. Por outro lado, surgiu também o Funk Proibidão, que manteve a temática mais obscura e crítica do seu estilo original, só que focando mais no Crime e Tráfico de Drogas nas favelas.

Foi apenas no final dos anos 90 que surge o New Funk, um subgênero que possui uma conotação mais sexual, com grupos como Bonde do Tigrão e Tati Quebra-Barraco, aos poucos levando esta temática ao extremo que conhecemos hoje em dia. O Funk Ostentação mesmo, só existe à uns 10 anos.

 

Ou seja, para o Funk se tornar o que ele é hoje, não foi algo assim "do nada" ou repentino, mas sim um desenvolvimento lento e gradual, que demorou mais de 20 anos para se concretizar. É dessa forma que música em geral evolui, e o Funk Carioca não foi exceção.

 

Já parou para pensar que talvez você seja uma exceção, e que geralmente uma mudança de estilo musical não causem mudanças de comportamento e estilo de vida?

 

É exatamente desse tipo de funk que eu discordo, ou seja, o que também possui uma popularidade maior aqui no Brasil. Do que vejo, são uma mistura desses três itens que você apontou e coloquei em negrito. Falam sobre Tráfico de Drogas, Crimes, Sexo e ostentação. Se o funk tivesse parado antes desses acontecimentos, talvez nem tivesse tanto ódio desse gênero, mas todas as vezes que se referem a funk, é esse tipo de funk que apontam e que discordo. E aliás, não falo do funk carioca, e sim do paulistano mesmo, não sei se possuem tantas diferenças, mas que fique claro isso.

 

E quanto eu ser uma exceção, eu falei exatamente sobre isto nesse tópico, não foi essa resposta que obtive. E se não for a música, o que teria sido? Eu sinceramente me caracterizo muito com o estilo de vida da Califórnia, as ideias trazidas na música da Julien-K, e diversos outros fatores que me levarem e se concretizaram quando conheci a banda. Se você ver na página do Facebook da Julien-K, e pegar quase qualquer um dos fãs da banda, verá que são altamente similares a mim. São nerds de 15-30 anos que passam o dia na frente de um computador, se identificam com esse gênero, e podem até ter músicas do mesmo gênero só que de outra banda, e tem/procuram algum(a) namorado(a). Também possuem algum tipo de site (Geralmente de reviews de música/jogos/tudo), e nota-se também que possuem gosto similares, quase todos conheceram a banda através de Sonic e são fãs de Star Wars (Inclusive o próprio vocalista), então acho difícil ser uma exceção em um grupo de pessoas tão grande.

 

Also, imagem relacionada:

 

Spoiler


#38 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 15:36:25

É exatamente desse tipo de funk que eu discordo, ou seja, o que também possui uma popularidade maior aqui no Brasil. Do que vejo, são uma mistura desses três itens que você apontou e coloquei em negrito. Falam sobre Tráfico de Drogas, Crimes, Sexo e ostentação. Se o funk tivesse parado antes desses acontecimentos, talvez nem tivesse tanto ódio desse gênero, mas todas as vezes que se referem a funk, é esse tipo de funk que apontam e que discordo. E aliás, não falo do funk carioca, e sim do paulistano mesmo, não sei se possuem tantas diferenças, mas que fique claro isso.

Hmmm... Tem algum outro gênero ou estilo musical pelo qual você tenha tanto sentimento negativo quanto o Funk?


E quanto eu ser uma exceção, eu falei exatamente sobre isto nesse tópico, não foi essa resposta que obtive. E se não for a música, o que teria sido? Eu sinceramente me caracterizo muito com o estilo de vida da Califórnia, as ideias trazidas na música da Julien-K, e diversos outros fatores que me levarem e se concretizaram quando conheci a banda. Se você ver na página do Facebook da Julien-K, e pegar quase qualquer um dos fãs da banda, verá que são altamente similares a mim. São nerds de 15-30 anos que passam o dia na frente de um computador, se identificam com esse gênero, e podem até ter músicas do mesmo gênero só que de outra banda, e tem/procuram algum(a) namorado(a). Também possuem algum tipo de site (Geralmente de reviews de música/jogos/tudo), e nota-se também que possuem gosto similares, quase todos conheceram a banda através de Sonic e são fãs de Star Wars (Inclusive o próprio vocalista), então acho difícil ser uma exceção em um grupo de pessoas tão grande.

Poderia ter sido uma série, um filme, um anime, mangá, etc. Não quer dizer que a musica tenha influenciado os outros como te influenciou, mas sim que os outros tenham encontrado um local ou um espaço para se enturmarem e socializarem. Eu e meus poucos amigos temos quase todas essas características que você descreveu, mas só passamos a saber da existência do Julien-K muito recentemente, e ninguém curtiu. Mesmo minha irmã, que é da sua geração e tem características semelhantes (inclusive com relação a Califórnia). Pelas idéias que você passou, nós deveríamos gostar deste tipo de música, mão não é o que acontece.



#39 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 16:48:04

Hmmm... Tem algum outro gênero ou estilo musical pelo qual você tenha tanto sentimento negativo quanto o Funk?


Poderia ter sido uma série, um filme, um anime, mangá, etc. Não quer dizer que a musica tenha influenciado os outros como te influenciou, mas sim que os outros tenham encontrado um local ou um espaço para se enturmarem e socializarem. Eu e meus poucos amigos temos quase todas essas características que você descreveu, mas só passamos a saber da existência do Julien-K muito recentemente, e ninguém curtiu. Mesmo minha irmã, que é da sua geração e tem características semelhantes (inclusive com relação a Califórnia). Pelas idéias que você passou, nós deveríamos gostar deste tipo de música, mão não é o que acontece.

 

Depende, tem alguns gêneros de música brasileira que as vezes passa na TV que não é muito do meu gosto, só não saberia informar exatamente qual os nomes (Talvez pagode, e suas ramificações), mas como não faz tanta parte do meu dia a dia, e nem de modo forçado, não tenho tanto hate.

 

Bem, se considerarmos o que descreveu, podíamos dizer então, que dentre as características abordadas, existe a música que seria a única diferença. Mas, é fato que todos os fãs da banda possuem as mesmas características, então é meio contraditório com o que disse no início do 2º parágrafo. Se acabou de dizer que possuem características idênticas as minhas exceto Julien-K, prova ainda mais que a Julien-K pode formar o caráter da pessoa, mesmo sendo idêntico ao dos outros, diferenciando-se apenas pelo gênero musical.

 

Mas, algo é certo, se você puder visualizar a page deles, seja no Facebook ou Twitter, poderá tirar conclusões melhores do que estou dizendo, e certamente valerá muito mais do que ter que escrever com minhas próprias palavras. (E preferencialmente, observe bem a parte de comentários).
 



#40 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 17:41:36

Bem, se considerarmos o que descreveu, podíamos dizer então, que dentre as características abordadas, existe a música que seria a única diferença. Mas, é fato que todos os fãs da banda possuem as mesmas características, então é meio contraditório com o que disse no início do 2º parágrafo. Se acabou de dizer que possuem características idênticas as minhas exceto Julien-K, prova ainda mais que a Julien-K pode formar o caráter da pessoa, mesmo sendo idêntico ao dos outros, diferenciando-se apenas pelo gênero musical.

Isso que você falou não tem nada a ver. Nem eu, nem minha irmã, nem meus amigos foram minimamente influenciados por Julien-K. Nós já eramos assim muito antes de sabermos da existência dele.

 

O que eu estava dizendo é que você não está considerando a possibilidade de que os outros fãs do Julien-K já possuíssem estas características que você descreveu antes de conhecer a banda. O fato de que os seguidores online tem características iguais a sua não quer dizer que isto seja aplicável à toda a fanbase. Aliás, muito pelo contrário, pois geralmente a quantidade de seguidores online participativos é apenas uma pequena fração da fanbase, pois geralmente a quantidade de seguidores online participativos é apenas uma pequena fração da fanbase, que geralmente é muito mais diversificada do que a pequena parte mais engajada.

 

Assim, não necessariamente significa que os fãs são assim por causa da musica que ouvem, mas sim pois na fanbase encontraram pessoas com gostos semelhantes. Aliás, muitos poderiam dizer que muitos deles acabaram se tornando fãs de Julien-K e suas musicas por causa da fanbase. Já vi muitos casos assim.

 

Depende, tem alguns gêneros de música brasileira que as vezes passa na TV que não é muito do meu gosto, só não saberia informar exatamente qual os nomes (Talvez pagode, e suas ramificações), mas como não faz tanta parte do meu dia a dia, e nem de modo forçado, não tenho tanto hate.

Estou perguntando isso pois o Rap e Hip-Hop americanos atuais, e boa parte das músicas Pop que tocam em tudo que é rádio e playlist dessa geração, possuem a mesma temática e promiscuidade que você tanto reclama do Funk, mas só vejo você haterando contra os ouvintes de Funk, mas não contra os ouvintes de Rap, Hip-Hop e Pop e afins...



#41 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 18:17:37

Isso que você falou não tem nada a ver. Nem eu, nem minha irmã, nem meus amigos foram minimamente influenciados por Julien-K. Nós já eramos assim muito antes de sabermos da existência dele.

 

O que eu estava dizendo é que você não está considerando a possibilidade de que os outros fãs do Julien-K já possuíssem estas características que você descreveu antes de conhecer a banda. O fato de que os seguidores online tem características iguais a sua não quer dizer que isto seja aplicável à toda a fanbase. Aliás, muito pelo contrário, pois geralmente a quantidade de seguidores online participativos é apenas uma pequena fração da fanbase, pois geralmente a quantidade de seguidores online participativos é apenas uma pequena fração da fanbase, que geralmente é muito mais diversificada do que a pequena parte mais engajada.

 

Assim, não necessariamente significa que os fãs são assim por causa da musica que ouvem, mas sim pois na fanbase encontraram pessoas com gostos semelhantes. Aliás, muitos poderiam dizer que muitos deles acabaram se tornando fãs de Julien-K e suas musicas por causa da fanbase. Já vi muitos casos assim.

 

Estou perguntando isso pois o Rap e Hip-Hop americanos atuais, e boa parte das músicas Pop que tocam em tudo que é rádio e playlist dessa geração, possuem a mesma temática e promiscuidade que você tanto reclama do Funk, mas só vejo você haterando contra os ouvintes de Funk, mas não contra os ouvintes de Rap, Hip-Hop e Pop e afins...

 

Bem, isso é meio relativo e generalizado. É impossível generalizar 22.000 fãs (Número de curtidas que a página tem). Mas se a banda não formulou a pessoa, ao menos foi um atrativo para. Desses 22.000 fãs, certamente uns 12.000 conheceram a banda através de Sonic, outros 8.000 conheceram via Linkin Park, Dead by Sunrise, Orgy e afins (Bandas passadas e/ou relacionadas a Julien-K). Logo, essa comunidade foi se formando, trouxeram sua influência e se miscigenando, pois é só perceber que um fã de Linkin Park pode ser totalmente diferente de um fã de Sonic. Daí formou-se esse tipo de comunidade, características sobre características.

 

Como fã, não me importo muito se a banda é grande ou não, se tem popularidade ou não, mas saber que existem cerca de 22.000 pessoas mundo afora que pensam similarmente a mim, já é uma grande vitória. Também, há uma forte relação banda-fãs, se eu quiser perguntar qualquer coisa, eles respondem. Aliás, já tem chat com os fãs marcado esta Segunda no final de tarde, aliás, anunciado em um tom bem cômico:
 

ATTN JK ACOLYTES: WE WILL BE HAVING A LIVE CHAT ON OUR FB PAGE MONDAY LATE AFTERNOON PST. WE WILL BE DISCUSSING ALL SORT OF BULLSHIT /// TIME CAPSULE /// SUMMER TOUR /// SKIN CARE TECHNIQUES /// FAVORITE COLORS /// ..... wait .. I'm off script big time ... /// SEE U THERE !!!!! PLS LIKE OUR PAGE!!! #crueldazeofsummer2017 #timecapsule #synthicide #indiegogo @julienk

 

 

Talvez, não seja muito fácil entender esse tipo de coisa para quem não é fã, mas esse texto é cheio de referências. JK é abreviação da banda, Time Capsule o nome do próximo álbum, crueldazeofsummer é o nome da música mais popular do We're Here With You, e por aí vai.

 

Dificilmente você achará esse tipo de tratamento em uma outra banda. Fora o jeito que vi muitos funkeiros tratando seus fãs por aí, chamando eles literalmente assim: "Eaí seus bando de bosta, amanhã tem clipe novo, se não ver tu morre".

 

Então, dá para ver que você até recebe um acolhimento da própria banda. Ás vezes, por detalhes como esses, eu até posso preferir continuar ouvindo a banda independentemente da desgraça que fizerem, pois sei que não terá algo similar fora.

 

E quanto à outros tipos de música, por mais que similares que sejam a funk, não chegam à mim, portanto, podem possuir o conteúdo que tiver, se não chegar aos meus ouvidos estou mais do que satisfeito, diferente de funk que tentam fazer uma lavagem cerebral em você.



#42 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 18:53:45

Bem, isso é meio relativo e generalizado. É impossível generalizar 22.000 fãs (Número de curtidas que a página tem). Mas se a banda não formulou a pessoa, ao menos foi um atrativo para. Desses 22.000 fãs, certamente uns 12.000 conheceram a banda através de Sonic, outros 8.000 conheceram via Linkin Park, Dead by Sunrise, Orgy e afins (Bandas passadas e/ou relacionadas a Julien-K). Logo, essa comunidade foi se formando, trouxeram sua influência e se miscigenando, pois é só perceber que um fã de Linkin Park pode ser totalmente diferente de um fã de Sonic. Daí formou-se esse tipo de comunidade, características sobre características.

Sim, mas quem garante que estes 22.000 pessoas são todos os fãs da banda. É factível pensar que a fanbase total esteja na faixa de 1.000.000 de fãs, mas os outros 978.000 não fazem parte da comunidade.

E veja que no caso que exemplificou, não foi nem a banda nem suas músicas que influenciaram no comportamento desses fãs, mas sim a convivência na comunidade. E dá para pensar que a maioria que não participa da comunidade não tenha tido qualquer influência, e possa ter diversos comportamentos e mentalidades diferentes da sua.

 

 

E quanto à outros tipos de música, por mais que similares que sejam a funk, não chegam à mim, portanto, podem possuir o conteúdo que tiver, se não chegar aos meus ouvidos estou mais do que satisfeito, diferente de funk que tentam fazer uma lavagem cerebral em você.

Estranho que musicas de pessoas como David Guetta, Nicki Minaj, Lady Gaga e afins não cheguem a você...

 


#43 Full King

Full King
  • Membros do Fórum
  • 247 posts

Postado 06/05/2017 - 19:06:15

Funkeiros são menos chatos que o Malaman 



#44 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 19:20:57

Sim, mas quem garante que estes 22.000 pessoas são todos os fãs da banda. É factível pensar que a fanbase total esteja na faixa de 1.000.000 de fãs, mas os outros 978.000 não fazem parte da comunidade.

E veja que no caso que exemplificou, não foi nem a banda nem suas músicas que influenciaram no comportamento desses fãs, mas sim a convivência na comunidade. E dá para pensar que a maioria que não participa da comunidade não tenha tido qualquer influência, e possa ter diversos comportamentos e mentalidades diferentes da sua.

 

 

Estranho que musicas de pessoas como David Guetta, Nicki Minaj, Lady Gaga e afins não cheguem a você...

 

Acho difícil considerar isso. A banda em si, é formada por movimentos de tecnologia, não faria sentido alguém que nem acesso a internet tem poder conhecer e gostar da banda. Leve em consideração que é uma banda pequena de um país desenvolvido voltado para coisas tecnológicas, então são pessoas que certamente tem acesso a internet. E também, é como digo desde o início, as músicas falam e fazer pensar sobre um estilo de vida, e estes podem se comprovados vendo as páginas em que a banda posta. Por mais ridículo que possa parecer, se eu por algum acaso, queira postar que ouço Julien-K enquanto ando pela cidade, é quase certo que eles repostam assim que veem, então dá para ver bem o estilo de vida dessas pessoas.

 

Considerando ainda esse estilo de vida sem acesso a tecnologia (Que é justamente o que a banda fala), músicas como Framework, Death to Analog, Technical Difficulties, Analog Beaches & Digital Cities, Strange Invisible, Deep Beat Overground e Nightlife in Neon perdem todo o sentido.

 

Agora, quanto as outras músicas, já ouvi falar, mas não saberia por exemplo citar nenhuma música de cada um. E confesso que nunca ouvi falar do cara do meio.



#45 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 19:46:04

Acho difícil considerar isso. A banda em si, é formada por movimentos de tecnologia, não faria sentido alguém que nem acesso a internet tem poder conhecer e gostar da banda. Leve em consideração que é uma banda pequena de um país desenvolvido voltado para coisas tecnológicas, então são pessoas que certamente tem acesso a internet. 

Eu falei que não eram participativos, e não que não possuíam acesso a internet. Já parou para pensar que o fato dos fãs possuírem acesso à internet não quer dizer que serão participativos na fanbase ativa? Uma coisa não tem relação alguma com a outra. Eu mesmo, por exemplo, gosto de dezenas de coisas que encontro na internet mas raramente participo de grupos da fanbase ou grupos de discussões, aliás dá para contar nos dedos de uma mão a quantidade de coisas ao qual sou realmente participativo.

 

 

E também, é como digo desde o início, as músicas falam e fazer pensar sobre um estilo de vida, e estes podem se comprovados vendo as páginas em que a banda posta. Por mais ridículo que possa parecer, se eu por algum acaso, queira postar que ouço Julien-K enquanto ando pela cidade, é quase certo que eles repostam assim que veem, então dá para ver bem o estilo de vida dessas pessoas.

 

Considerando ainda esse estilo de vida sem acesso a tecnologia (Que é justamente o que a banda fala), músicas como Framework, Death to Analog, Technical Difficulties, Analog Beaches & Digital Cities, Strange Invisible, Deep Beat Overground e Nightlife in Neon perdem todo o sentido.

Pelo que vejo, você tem sérias dificuldades de aceitar o fato de que há muta gente que curte uma banda ou uma música sem se engajar com as letras ou com as mensagens nelas contidas. Vou te dizer que a maioria só considera um vocal como mais um instrumento musical na composição, sem qualquer tratamento especial ou distinto, apenas adicionando um algo mais na melodia. E isso pode ser constatado quando alguém ouve uma música estrangeira e não sabe absolutamente nada sobre o que está sendo dito:
 
 
Lembre-se, a parte mais engajada de uma fanbase quase sempre compõe uma grande minoria desta. A maior parte é composto pelo que chamamos de "simpatizantes", ou seja, que acompanham sem nenhuma participação direta ou acompanhamento constante.
 
 

E confesso que nunca ouvi falar do cara do meio.

Cara...?



#46 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 20:08:18

Eu falei que não eram participativos, e não que não possuíam acesso a internet. Já parou para pensar que o fato dos fãs possuírem acesso à internet não quer dizer que serão participativos na fanbase ativa? Uma coisa não tem relação alguma com a outra. Eu mesmo, por exemplo, gosto de dezenas de coisas que encontro na internet mas raramente participo de grupos da fanbase ou grupos de discussões, aliás dá para contar nos dedos de uma mão a quantidade de coisas ao qual sou realmente participativo.

 

 

Pelo que vejo, você tem sérias dificuldades de aceitar o fato de que há muta gente que curte uma banda ou uma música sem se engajar com as letras ou com as mensagens nelas contidas. Vou te dizer que a maioria só considera um vocal como mais um instrumento musical na composição, sem qualquer tratamento especial ou distinto, apenas adicionando um algo mais na melodia. E isso pode ser constatado quando alguém ouve uma música estrangeira e não sabe absolutamente nada sobre o que está sendo dito:
 
 
Lembre-se, a parte mais engajada de uma fanbase quase sempre compõe uma grande minoria desta. A maior parte é composto pelo que chamamos de "simpatizantes", ou seja, que acompanham sem nenhuma participação direta ou acompanhamento constante.
 
 

Cara...?

 

Depende, não concordo muito com a que disse no começo. Mesmo que tenham acesso a internet, uma rede social seria a única maneira de se informar sobre a banda, como você iria descobrir que lançaram um novo álbum? E do jeito que você fala, você ignora também, que são fãs bem restritos, esses fãs têm no máximo, preferência por 2 ou 3 bandas a mais, ou seja, não é apenas mais uma banda, é a banda.

Quanto ao fato de ter a letra ou não, se torna bem relativo aqui. A maioria das músicas, o ritmo não tem qualquer sentido sem saber sobre o que se trata a letra. Eu quando ouvi o Chapter Two do California Noir, ouvi com base do booklet. Quando comprei os CDs, confesso que eu estava principalmente com hype dos booklets, as músicas eu já conhecia, mas sempre quis saber o que se falava, algo que se dá para notar muito nesse caso, é que eu ouvia as músicas tentando reconhecer apenas os sons, mas quando você lê a letra, a música faz mais sentido ainda, agora isso pode ser algo exclusivo da Julien-K. E de qualquer maneira, ou ODEIO aquele ritmo (Batida) de fundo do funk. Se quiser me irritar é só me deixar ouvindo aquilo por um tempo que acabo dando uma bicuda no que está produzindo o som.

 

Quando você fala da parte mais engajada, é aí que você se engana, observando as pages dele nas redes sociais, os fãs possuem bastante influência e prazer em segui-los, por que você acha que falei que tinham marcado um chat online segunda?

 

E quanto a tiazinha, ficou na cara que nem sabia quem era, sendo que nem sabia que se tratava de uma mulher.



#47 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 20:55:08

Depende, não concordo muito com a que disse no começo. Mesmo que tenham acesso a internet, uma rede social seria a única maneira de se informar sobre a banda, como você iria descobrir que lançaram um novo álbum? 

Existem inúmeras formas de se saber se uma banda vai lançar um novo álbum ou não: Wikipedia, Site Oficial da banda, Spotify, Allmusic, Rate Your Music, Twitter, Facebook, Blogs, Webzines, Fansites, Fóruns de musicas, etc. Você não precisa acompanhar todo dia noticias e comentar aquilo que puder para ter acesso a esse tipo de informação, é só olhar em alguns destes sites uma vez a cada 2 ou 3 semanas para ficar bem atualizado sobre novas músicas, álbuns, shows, etc.

 

E do jeito que você fala, você ignora também, que são fãs bem restritos, esses fãs têm no máximo, preferência por 2 ou 3 bandas a mais, ou seja, não é apenas mais uma banda, é a banda.

Isso é o que você assume pelo comportamento das pessoas com que você interage, não quer dizer que seja aplicável à toda a fanbase. E mesmo que o gosto seja mais restrito, as pessoas possuem outros interesses além do musical, e quando trabalham e/ou estudam nem sempre acabam tendo tempo nem disposição para serem participativos como você é. 

 

Quanto ao fato de ter a letra ou não, se torna bem relativo aqui. A maioria das músicas, o ritmo não tem qualquer sentido sem saber sobre o que se trata a letra. Eu quando ouvi o Chapter Two do California Noir, ouvi com base do booklet. Quando comprei os CDs, confesso que eu estava principalmente com hype dos booklets, as músicas eu já conhecia, mas sempre quis saber o que se falava, algo que se dá para notar muito nesse caso, é que eu ouvia as músicas tentando reconhecer apenas os sons, mas quando você lê a letra, a música faz mais sentido ainda, agora isso pode ser algo exclusivo da Julien-K. 

Como eu disse antes, você tem sérias dificuldades de entender que para a maioria o ritmo não precisa "ter sentido". Para eles, somente o fato de o ritmo e a melodia agradarem, soarem legal, caírem no gosto deles, isso já é suficiente para eles ouvirem as músicas e a letra destas passa a ser um detalhe a mais, muitas vezes irrelevante ao ouvinte.

 

Quando você fala da parte mais engajada, é aí que você se engana, observando as pages dele nas redes sociais, os fãs possuem bastante influência e prazer em segui-los, por que você acha que falei que tinham marcado um chat online segunda?

E quando eu falei que não eram influentes e participativos? O que eu falei é que geralmente esta parte compõe a minoria da fanbase, e isso independe do tamanho do engajamento. É só que, a parte mais engajada geralmente é a menor.



#48 Full King

Full King
  • Membros do Fórum
  • 247 posts

Postado 06/05/2017 - 21:01:04

Agora lembrei do tempo de espera pro Frank Ocean lançar o  Blonde e me bateu a tristeza :(



#49 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 06/05/2017 - 21:12:19

Existem inúmeras formas de se saber se uma banda vai lançar um novo álbum ou não: Wikipedia, Site Oficial da banda, Spotify, Allmusic, Rate Your Music, Twitter, Facebook, Blogs, Webzines, Fansites, Fóruns de musicas, etc. Você não precisa acompanhar todo dia noticias e comentar aquilo que puder para ter acesso a esse tipo de informação, é só olhar em alguns destes sites uma vez a cada 2 ou 3 semanas para ficar bem atualizado sobre novas músicas, álbuns, shows, etc.

 

Isso é o que você assume pelo comportamento das pessoas com que você interage, não quer dizer que seja aplicável à toda a fanbase. E mesmo que o gosto seja mais restrito, as pessoas possuem outros interesses além do musical, e quando trabalham e/ou estudam nem sempre acabam tendo tempo nem disposição para serem participativos como você é. 

 

Como eu disse antes, você tem sérias dificuldades de entender que para a maioria o ritmo não precisa "ter sentido". Para eles, somente o fato de o ritmo e a melodia agradarem, soarem legal, caírem no gosto deles, isso já é suficiente para eles ouvirem as músicas e a letra destas passa a ser um detalhe a mais, muitas vezes irrelevante ao ouvinte.

 

E quando eu falei que não eram influentes e participativos? O que eu falei é que geralmente esta parte compõe a minoria da fanbase, e isso independe do tamanho do engajamento. É só que, a parte mais engajada geralmente é a menor.

 

Primeiramente, que por ser uma banda pequena, ela não tem todas essas mídias. A Wikipedia é desatualizada, o site é um pouco atrasado e quase nunca trás detalhes, o Allmusic deles não é atualizado desde o We're Here With You (2012), já foram lançados 2 California Noirs depois disso. A banda nem tem Blogs e Fansites, o muito que tem é gente postando review em site pessoal. Então sim, a rede social é o único jeito de ficar up-to-date com a banda. E aliás, não custa nada clicar no botão curtir e ver as novidades em meio o seu dia a dia (E aliás, confesso que ultimamente só tenho entrado no meu Facebook para ver coisas relacionadas a banda, pois de resto, é tudo bem descartável).
 

E do mesmo jeito que você me julga dizendo que não sei o outro lado dos outros fãs, você não tem nada que comprove sua teoria, eu ao menos tenho imagens e vídeos que comprovam como a Julien-K faz parte da rotina das pessoas. E ultimamente está tão difícil achar amigos por esses lados, que só de ter um amigo que tem, nem que seja uma música na playlist, para mim já é uma grande conquista.

 

Eu entendo quando diz sobre ritmos legais, eu por exemplo, ouvia Whore só por ter uma batinha de fundo legal, mas mal sabia que Whore significava prostituta, mas essa não é uma composição da banda. Também tem Deep Beat Overground que a música vale mais pelos ritmo. Porém, há o outro lado da moeda, músicas como California Noir, Kick the Bass e Cruel Daze of Summer possuem suas letras tão valorizadas que existem remixes que não possuem nada de igual com o ritmo original, mas a letra fica intacta. Tanto é que Kick the Bass e Cruel Daze of Summer possuem singles inteiros dedicado só a remixes.



#50 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 06/05/2017 - 22:00:37

Primeiramente, que por ser uma banda pequena, ela não tem todas essas mídias. A Wikipedia é desatualizada, o site é um pouco atrasado e quase nunca trás detalhes, o Allmusic deles não é atualizado desde o We're Here With You (2012), já foram lançados 2 California Noirs depois disso. A banda nem tem Blogs e Fansites, o muito que tem é gente postando review em site pessoal. Então sim, a rede social é o único jeito de ficar up-to-date com a banda. E aliás, não custa nada clicar no botão curtir e ver as novidades em meio o seu dia a dia.

Err... 

https://en.wikipedia.org/wiki/Julien-K

https://www.indiegog...r-chapter-one#/

https://crueldazeofs....wordpress.com/

https://itunes.apple...n-k/id258417368

Como eu não sou fã, não vou ficar procurando mais fontes. Não é a minha função.

 

Além disso, clicar o botão curtir não quer dizer que a pessoa vai verificar diariamente por novidades, e mesmo que ela visite diariamente não quer dizer que esta vai comentar e participar de grupos de discussões. E em ambos os casos implica que a pessoa não é participativa na fanbase, muito menos quer dizer que a pessoa foi influenciada tanto pela banda, quanto pela fanbase.

 

E do mesmo jeito que você me julga dizendo que não sei o outro lado dos outros fãs, você não tem nada que comprove sua teoria, eu ao menos tenho imagens e vídeos que comprovam como a Julien-K faz parte da rotina das pessoas.

Eu me baseio no comportamento humano, cujo comportamento social e grupal possui muitos padrões que são aplicáveis a praticamente tudo. E quando se trata de fanbase, já foi estudado alguns casos de participação de de fãs na comunidade, e alguns deles demonstram que a parcela da fanbase que realmente é participativa e engajada fica em torno de 1% do total de fãs de algo.
 

Porém, há o outro lado da moeda, músicas como California Noir, Kick the Bass e Cruel Daze of Summer possuem suas letras tão valorizadas que existem remixes que não possuem nada de igual com o ritmo original, mas a letra fica intacta. Tanto é que Kick the Bass e Cruel Daze of Summer possuem singles inteiros dedicado só a remixes.

Isso se chama Cover, e isto não tem nada a ver com as letras da musicas. Muito pelo contrário visto que são feitos muitos covers de musicas instrumentais (canções sem letras), o que deixa claro que covers independem da compreensão ou não das letras.

Além disso, um dos motivos que levam a alguém a fazer um cover de uma música é para promover o seu  próprio trabalho e estilo. Um outro motivo é para experimentar aquelas músicas em outros ritmos que a pessoa goste, e levando em consideração que para fazer um cover a pessoa tem que gostar da musica e de outros estilos musicais, isto vai contra a sua ideia de que a fanbase seja restrita à uma ou outra banda.

 



#51 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 07/05/2017 - 07:13:49

 

Err... 

https://en.wikipedia.org/wiki/Julien-K

https://www.indiegog...r-chapter-one#/

https://crueldazeofs....wordpress.com/

https://itunes.apple...n-k/id258417368

Como eu não sou fã, não vou ficar procurando mais fontes. Não é a minha função.

 

Além disso, clicar o botão curtir não quer dizer que a pessoa vai verificar diariamente por novidades, e mesmo que ela visite diariamente não quer dizer que esta vai comentar e participar de grupos de discussões. E em ambos os casos implica que a pessoa não é participativa na fanbase, muito menos quer dizer que a pessoa foi influenciada tanto pela banda, quanto pela fanbase.

 

Eu me baseio no comportamento humano, cujo comportamento social e grupal possui muitos padrões que são aplicáveis a praticamente tudo. E quando se trata de fanbase, já foi estudado alguns casos de participação de de fãs na comunidade, e alguns deles demonstram que a parcela da fanbase que realmente é participativa e engajada fica em torno de 1% do total de fãs de algo.
 

Isso se chama Cover, e isto não tem nada a ver com as letras da musicas. Muito pelo contrário visto que são feitos muitos covers de musicas instrumentais (canções sem letras), o que deixa claro que covers independem da compreensão ou não das letras.

Além disso, um dos motivos que levam a alguém a fazer um cover de uma música é para promover o seu  próprio trabalho e estilo. Um outro motivo é para experimentar aquelas músicas em outros ritmos que a pessoa goste, e levando em consideração que para fazer um cover a pessoa tem que gostar da musica e de outros estilos musicais, isto vai contra a sua ideia de que a fanbase seja restrita à uma ou outra banda.

 

 

Primeiramente, parabéns, pois nenhum desses sites tem qualquer característica que mencionou. A Wikipédia continua desatualizada na parte da história da banda, O segundo link é a campanha de arrecadação, não haveria nenhum jeito de descobri-la sem visitar redes sociais, e ninguém seria advinha para achar que tinham lançado uma campanha em certa época do ano em determinado site. O 3º site, só leva o nome da música, pois de Julien-K não tem nada. E o 4º, é a iTunes, não tem como estar desatualizada, o mesmo serve para Google Play e Spotify, mas isso são só os álbuns, não tem como saber do anúncio de novos álbuns, clipes e singles etc.

 

E os sites que você informou, são um tanto velhos, mesmo que sejam de 2011/2013, a internet cresceu imensamente nesse período:

 

https://upload.wikim...bitants_ITU.svg

 

Ainda mais se parar para pensar que a banda teve seu principal crescimento entre 2014+

 

E também, por mais que a fanbase seja tão menos participativa, você ainda fica sem meios de conhecer a banda direito. Por que você considera então que a banda só voltou a crescer depois de 2014? Pois acharam uma base fixa (Redes sociais/site), conseguiram juntar seus fãs e uni-los, e principalmente ter como fazer campanhas Indiegogo, sendo que, se notar, não é nenhum número extraordinário de pessoas que suportaram a banda nas campanhas, passando pouco mais de 500 em ambas, logo se conclui que realmente se trata de uma fan base bem pequena, eu só não participei, pois confesso que tive um pouco de vergonha para revelar meu gosto musical aos meus pais, porém suportei-os quando lançaram o California Noir - The Complete Edition mais os antigos Death to Analog - Limited Edition e We're Here With You (Deluxe Edition).

 

E quanto aos covers, não é muito bem assim como você falou não. Tanto Death to Analog - Limited Edition e o We're Here With You (Deluxe Edition), possuem CDs destinado apenas para remixes (Sim, é escrito remixes, e não covers). Dentre eles, até possuem bandas/pessoas bem famosas como Deadmau5 e Combirchirist. Mas não são remixes de fãs, são remixes de bandas profissionais, e aliás, acho até mais que são bandas mais populares do que a Julien-K.



#52 Ken

Ken
  • Membros do Fórum
  • 3.186 posts

Postado 07/05/2017 - 07:21:55

n tem oq discutir

toda música é uma bosta qnd comparada a beethoven

#53 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 07/05/2017 - 11:48:31

Primeiramente, parabéns, pois nenhum desses sites tem qualquer característica que mencionou. A Wikipédia continua desatualizada na parte da história da banda, O segundo link é a campanha de arrecadação, não haveria nenhum jeito de descobri-la sem visitar redes sociais, e ninguém seria advinha para achar que tinham lançado uma campanha em certa época do ano em determinado site. O 3º site, só leva o nome da música, pois de Julien-K não tem nada. E o 4º, é a iTunes, não tem como estar desatualizada, o mesmo serve para Google Play e Spotify, mas isso são só os álbuns, não tem como saber do anúncio de novos álbuns, clipes e singles etc.

Nos sites que mencionei dá para você procurar por postagens específicas sobre a banda: É só escrever "Julien-K" nas barras de pesquisa.

 

Mas mais importante, para as partes menos engajadas das fanbases não ha essa necessidade de estar constantemente atualizado ou saber todos os possíveis detalhes sobre a banda e seus integrantes. Para quem está mais para o lado de simpatizantes, é legal saber quando um álbum será lançado, mas não fazem questão de saber pois é possível adquiri-lo depois de lançado, e mesmo assim não é garantido pois dá para comprar músicas separadas sem necessitar dos álbuns completos.

 

Além disso, geralmente só se interessam com shows que forem ocorrer perto de onde moram e o interesse por Singles, EPs e DVDs é bastante diminuto comparado com o resto. Fãs casuais não sentem a necessidade de possuir toda a discografia de suas bandas favoritas, geralmente somente aquilo que mais gostam.

 

E os sites que você informou, são um tanto velhos, mesmo que sejam de 2011/2013, a internet cresceu imensamente nesse período:

 

https://upload.wikim...bitants_ITU.svg

 

Ainda mais se parar para pensar que a banda teve seu principal crescimento entre 2014+

Imensamente vírgula, o ritmo de crescimento está estável e constante desde 2008 por este gráfico. 

 

Ainda assim, isso é totalmente irrelevante. O que importa é a atratividade dos sites, então mesmo que sejam mais antigos, estes geralmente são os principais e mais visitados em suas próprias categorias. 

 

E também, por mais que a fanbase seja tão menos participativa, você ainda fica sem meios de conhecer a banda direito. Por que você considera então que a banda só voltou a crescer depois de 2014? Pois acharam uma base fixa (Redes sociais/site), conseguiram juntar seus fãs e uni-los, e principalmente ter como fazer campanhas Indiegogo, sendo que, se notar, não é nenhum número extraordinário de pessoas que suportaram a banda nas campanhas, passando pouco mais de 500 em ambas, logo se conclui que realmente se trata de uma fan base bem pequena, eu só não participei, pois confesso que tive um pouco de vergonha para revelar meu gosto musical aos meus pais, porém suportei-os quando lançaram o California Noir - The Complete Edition mais os antigos Death to Analog - Limited Edition e We're Here With You (Deluxe Edition)

Fonte para dizer que a banda só voltou a crescer pós-2014?

 

Enfim, de toda forma, o motivo da maior popularidade da banda não necessariamente passa por este motivo que você descreveu. Como você disse, o acesso a Internet tem crescido ano após ano, então pode ser que o crescimento da banda esteja apenas refletindo o fato que, com mais pessoas com internet, mais pessoas terão acesso ao conhecimento e informações deles. Além disso, a passagem de conhecimento entre pessoas fora do ambiente da internet (vocal, por conversas) também conta, e quando um cresce, o outro vai junto. 

 

Sobre campanhas financeiras, em qualquer fanbase são realmente muito poucos que possuem a capacidade ou disposição para contribuírem. É uma pequena parcela da fanbase, geralmente da parte mais engajada, que fazem contribuições deste tipo, sendo que a grande maioria dos simpatizantes preferem adquirir depois de lançado, ou até mesmo baixar ilegalmente pela internet. 

 

E quanto aos covers, não é muito bem assim como você falou não. Tanto Death to Analog - Limited Edition e o We're Here With You (Deluxe Edition), possuem CDs destinado apenas para remixes (Sim, é escrito remixes, e não covers). Dentre eles, até possuem bandas/pessoas bem famosas como Deadmau5 e Combirchirist. Mas não são remixes de fãs, são remixes de bandas profissionais, e aliás, acho até mais que são bandas mais populares do que a Julien-K.

Cover, Remix, Rearrange, Medley, etc... Tanto faz. Em ambos os casos as letras das músicas são irrelevantes neste tipo de trabalho. Esse tipo de trabalho mexe principalmente com instrumentação, arranjo e composição das músicas, raramente tem uma real preocupação com as letras (isso quando a musica possui letras...). 



#54 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 07/05/2017 - 12:25:41

Nos sites que mencionei dá para você procurar por postagens específicas sobre a banda: É só escrever "Julien-K" nas barras de pesquisa.

 

Mas mais importante, para as partes menos engajadas das fanbases não ha essa necessidade de estar constantemente atualizado ou saber todos os possíveis detalhes sobre a banda e seus integrantes. Para quem está mais para o lado de simpatizantes, é legal saber quando um álbum será lançado, mas não fazem questão de saber pois é possível adquiri-lo depois de lançado, e mesmo assim não é garantido pois dá para comprar músicas separadas sem necessitar dos álbuns completos.

 

Além disso, geralmente só se interessam com shows que forem ocorrer perto de onde moram e o interesse por Singles, EPs e DVDs é bastante diminuto comparado com o resto. Fãs casuais não sentem a necessidade de possuir toda a discografia de suas bandas favoritas, geralmente somente aquilo que mais gostam.

 

Imensamente vírgula, o ritmo de crescimento está estável e constante desde 2008 por este gráfico. 

 

Ainda assim, isso é totalmente irrelevante. O que importa é a atratividade dos sites, então mesmo que sejam mais antigos, estes geralmente são os principais e mais visitados em suas próprias categorias. 

 

Fonte para dizer que a banda só voltou a crescer pós-2014?

 

Enfim, de toda forma, o motivo da maior popularidade da banda não necessariamente passa por este motivo que você descreveu. Como você disse, o acesso a Internet tem crescido ano após ano, então pode ser que o crescimento da banda esteja apenas refletindo o fato que, com mais pessoas com internet, mais pessoas terão acesso ao conhecimento e informações deles. Além disso, a passagem de conhecimento entre pessoas fora do ambiente da internet (vocal, por conversas) também conta, e quando um cresce, o outro vai junto. 

 

Sobre campanhas financeiras, em qualquer fanbase são realmente muito poucos que possuem a capacidade ou disposição para contribuírem. É uma pequena parcela da fanbase, geralmente da parte mais engajada, que fazem contribuições deste tipo, sendo que a grande maioria dos simpatizantes preferem adquirir depois de lançado, ou até mesmo baixar ilegalmente pela internet. 

 

Cover, Remix, Rearrange, Medley, etc... Tanto faz. Em ambos os casos as letras das músicas são irrelevantes neste tipo de trabalho. Esse tipo de trabalho mexe principalmente com instrumentação, arranjo e composição das músicas, raramente tem uma real preocupação com as letras (isso quando a musica possui letras...). 

 

Bem, se com esse site, você se refere ao Cruel Daze of Summer, ele só tem um artigo (Desatualizado) falando sobre a Julien-K, e muito menos é um site exclusivo a ela.

 

Concordo com grande parte com que disse no 2º parágrafo, mas a Julien-K joga em um jeito mais dinâmico, acompanhei as campanhas do Mannequin Eyes e Nightlife in Neon, e não é assim como você descreveu. Eles anunciam a campanha, e esta dura cerca de 2 semanas a 1 mês. Depois é o tempo que levam para poderem atender os pedidos da campanha e fazer o álbum propriamente dito. Se você quisesse comprar o CD depois da campanha, levou quase um mês para regularizarem os Downloads Digitais em todos os sites e poder comprá-lo em mídia física no site oficial. E tem mais, hoje é impossível comprar a mídia física do Analog Beaches & Digital Cities, apenas por mídia digital ou pelo The Complete Edition (Meu Caso).

 

O gráfico aborda até 2014, mas o crescimento em si de 2014 até 2017 é bem grande, visto apenas o crescimento de smartphones, sendo esse até caso de que os funkeiros de favela que tanto crítico, moram nas piores condições mas estão lá com seu iPhone 7 ostentando.

 

Aqui provando o crescimento da banda pós-2014.

 

"In July 2014 Julien-K launched it’s third album concept with a 3 song prelude to an ambitious double album-concept-esthetic-movement calling it “California Noir”. The CA Noir spirit was given a visual representation in November 2014 with the release of the haunting video for the title track, showcasing their struggle to discover the meaning of the California dream. The concept will continue with the early 2015 planned release of the first chapter: “California Noir: Analog Beaches and Digital Cities”.
 

Copiado do Facebook da banda.

 

E é aí que você se engana quando diz que a letra não faz importância na música:

 

Essa é a música California Noir original

E essa é uma remix da Zeskullz

 

O ritmo em si, não é nada igual, apenas a letra da música continua igual, com os vocais iguais.



#55 Ambrose

Ambrose

    Loopholes...

  • Membros do Fórum
  • 1.806 posts
  • LocationFloripa

Postado 07/05/2017 - 13:02:34

Malaman não deve gostar de instrumentais então.

O bom é que o Solaris já fez toda a discussão por mim heheh

#56 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 07/05/2017 - 13:11:05

Malaman não deve gostar de instrumentais então.

O bom é que o Solaris já fez toda a discussão por mim heheh

 

Eu até gosto, mas não acho que vocais são tão desprezíveis como o Solaris propõe. Acho as músicas Nightlife in Neon e Analog Beaches & Digital Cities bem legais, sendo estas apenas eletrônicas. Agora, quando se trata de uma música originalmente composta com letra e depois de muito tempo ouvi-la instrumental, se torna um tanto esquisito.

 

Exemplos:

 

 

 

Parece que fica faltando alguma coisa onde deveria ter vocais.



#57 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 07/05/2017 - 18:03:53

Concordo com grande parte com que disse no 2º parágrafo, mas a Julien-K joga em um jeito mais dinâmico, acompanhei as campanhas do Mannequin Eyes e Nightlife in Neon, e não é assim como você descreveu. Eles anunciam a campanha, e esta dura cerca de 2 semanas a 1 mês. Depois é o tempo que levam para poderem atender os pedidos da campanha e fazer o álbum propriamente dito. Se você quisesse comprar o CD depois da campanha, levou quase um mês para regularizarem os Downloads Digitais em todos os sites e poder comprá-lo em mídia física no site oficial. E tem mais, hoje é impossível comprar a mídia física do Analog Beaches & Digital Cities, apenas por mídia digital ou pelo The Complete Edition (Meu Caso).

Você não contrariou nada do que eu disse, até porque a fanbase casual em geral não faz questão de possuir uma cópia física e nem de ter todas as músicas. E como o fã casual muitas vezes prefere ouvir suas músicas em smartphones ou em veículos e/ou locais que não possuem CD Players ou semelhantes, o download de mídia digital se torna bastante atrativo e vantajoso.

 

O gráfico aborda até 2014, mas o crescimento em si de 2014 até 2017 é bem grande, visto apenas o crescimento de smartphones, sendo esse até caso de que os funkeiros de favela que tanto crítico, moram nas piores condições mas estão lá com seu iPhone 7 ostentando.

Fonte? A maioria destes funkeiros com smartphone já possuía um PC ou um Notebook.

 

Aqui provando o crescimento da banda pós-2014.

 

"In July 2014 Julien-K launched it’s third album concept with a 3 song prelude to an ambitious double album-concept-esthetic-movement calling it “California Noir”. The CA Noir spirit was given a visual representation in November 2014 with the release of the haunting video for the title track, showcasing their struggle to discover the meaning of the California dream. The concept will continue with the early 2015 planned release of the first chapter: “California Noir: Analog Beaches and Digital Cities”.
 

Copiado do Facebook da banda.

Isso não prova nada, não tem nada aê dizendo explicitamente que a fanbase cresceu notavelmente. Cadê o escrito "From 2014 onwards, the band is experiencing an increase in support and fanbase" ou algo do tipo? Quero algo concreto, não algo aberto à interpretações.

 

 

E é aí que você se engana quando diz que a letra não faz importância na música:

 

Essa é a música California Noir original

E essa é uma remix da Zeskullz

 

O ritmo em si, não é nada igual, apenas a letra da música continua igual, com os vocais iguais.

E daí? Manter o vocal original não quer dizer que houve uma real preocupação com as letras e vocais, talvez não tenha julgado nem importante isso, talvez tenham percebido que manter as letras e vocais não iria atrapalhar o ritmo que gostariam, até mesmo cairia bem com o que queriam. Aliás, boa parte dos remixes são assim, dá-se pouca atenção ao significado das letras pois em remixes o que importa mais é o som do vocal. As vezes muda-se com um rearranjo, as vezes mantém-se no estado original, depende do que a banda pretende e/ou prefere.

 

Aliás, se vermos a discografia deles, vemos que vários dos remixes "oficiais" de suas músicas são versões instrumentais, ou seja, sem vocais e, consequentemente, sem letras.



#58 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 07/05/2017 - 18:37:10

Você não contrariou nada do que eu disse, até porque a fanbase casual em geral não faz questão de possuir uma cópia física e nem de ter todas as músicas. E como o fã casual muitas vezes prefere ouvir suas músicas em smartphones ou em veículos e/ou locais que não possuem CD Players ou semelhantes, o download de mídia digital se torna bastante atrativo e vantajoso.

 

Fonte? A maioria destes funkeiros com smartphone já possuía um PC ou um Notebook.

 

Isso não prova nada, não tem nada aê dizendo explicitamente que a fanbase cresceu notavelmente. Cadê o escrito "From 2014 onwards, the band is experiencing an increase in support and fanbase" ou algo do tipo? Quero algo concreto, não algo aberto à interpretações.

 

 

E daí? Manter o vocal original não quer dizer que houve uma real preocupação com as letras e vocais, talvez não tenha julgado nem importante isso, talvez tenham percebido que manter as letras e vocais não iria atrapalhar o ritmo que gostariam, até mesmo cairia bem com o que queriam. Aliás, boa parte dos remixes são assim, dá-se pouca atenção ao significado das letras pois em remixes o que importa mais é o som do vocal. As vezes muda-se com um rearranjo, as vezes mantém-se no estado original, depende do que a banda pretende e/ou prefere.

 

Aliás, se vermos a discografia deles, vemos que vários dos remixes "oficiais" de suas músicas são versões instrumentais, ou seja, sem vocais e, consequentemente, sem letras.

 

Eu não disse especificamente das cópias físicas, as copias digitais também levaram tempo para aparecer oficialmente. Então sim, há uma leve vantagem em acompanhar a banda.

 

Fonte? Para mim, é só olhar qualquer clip de funk que os caras já começam a ostentar seus celulares.

 

O texto em si, mostra o crescimento da banda, logo se supõe que também obtiveram mais fãs. É só pensar um pouco. Logo depois do lançamento do We're Here With You, por pouco eles não foram à falência e deram adeus as músicas. Mas ainda fizeram uma campanha, obtiveram um dinheiro e lançaram um álbum, se esse álbum também calhasse, não faria sentido terem continuado a lançar mais 2 álbuns. Mas como teve sucesso, é óbvio que alguém ajudou nisso, os novos fãs (Um exemplo? Eu mesmo).

 

E o que comprova que não é justamente o contrário? Se interessaram pela letra da música e adicionaram um novo ritmo. Seria a mesma coisa se eu pegasse uma música que fala literalmente. "Eu amo funk, eu amo funk..." e adicionasse um ritmo diferente só por fazer. E também, assim como as músicas em si, há vários modos de remixes. Tem aquelas que conservam mais o ritmo original (We're Here With You (Craig Williams)), aquelas que não tem nada a ver com o ritmo original (Look at U (Deadmau5 Remix)), aquela que tem um ritmo diferente e uma letra um tanto modificada (Maestro (Koma & Bones Remix)).

 

E sim, chega a ter vezes que eu acho até que a remix e superior que a música original (Ex: Colorcast vs. Colorcast (Decode Radio (Remix)). E tem também aquelas bem diferentonas como Breakfast in Berlin (The Handclap Situation). E há várias remixes das músicas da banda, é impossível dizer que uma delas não foi feita só por ter um ritmo legal, outra só per ter uma letra legal, ou outra nada por nada, fez por fazer.

 

E quando você se refere aos instrumentais, são de Singles/EPs quase desconhecidos, tem uns aí que nem eu sabia que existiam, então, acaba se tornando ainda mais difícil generalizar quando você mesmo fala que ninguém acompanha a banda. Se nem eu que acompanho sabia disso, então certamente devem existir outros milhares que também não conhecem, principalmente aqueles que nem acompanham a banda.



#59 Super Solaris

Super Solaris

    Superdimensional lifeform

  • Membros do Fórum
  • 4.513 posts
  • LocationBoituva-SP

Postado 07/05/2017 - 19:25:36

Eu não disse especificamente das cópias físicas, as copias digitais também levaram tempo para aparecer oficialmente. Então sim, há uma leve vantagem em acompanhar a banda.

Pode haver uma vantagem, mas isto não quer dizer que o fã causal possua disposição ou vontade de fazer isso, como os estudos que postei demonstram. Eu mesmo, por exemplo, só olho 1 ou 2 vezes por ano para saber se alguma banda que gosto lançou um álbum novo ou não, e este geralmente é o nível de engajamento de um fã casual, isto por que há simpatizantes com ainda menos ritmo de acompanhamento. 

 

Fonte? Para mim, é só olhar qualquer clip de funk que os caras já começam a ostentar seus celulares.

Você não entendeu. Eu quis dizer que como eles já possuíam acesso à internet por outras vias (PC Notebook, Tablet, etc), o fato dessas pessoas passarem a possuir smartphones não representa um acréscimo na quantidade de pessoas conectadas.

 

O texto em si, mostra o crescimento da banda, logo se supõe que também obtiveram mais fãs. É só pensar um pouco. Logo depois do lançamento do We're Here With You, por pouco eles não foram à falência e deram adeus as músicas. Mas ainda fizeram uma campanha, obtiveram um dinheiro e lançaram um álbum, se esse álbum também calhasse, não faria sentido terem continuado a lançar mais 2 álbuns. Mas como teve sucesso, é óbvio que alguém ajudou nisso, os novos fãs (Um exemplo? Eu mesmo).

Uma coisa não necessariamente significa a outra, não tem nada óbvio nisso. Não sei o que ocorreu com eles, mas não duvido que o fato de eles quase terem falido tenha causado uma mobilização geral da fanbase fanática, e uma pequena parte dos casuais, para impedir que isto acontecesse. A vezes, pode ser que a fanbase estivesse menos interessada na banda do que atualmente, e este fato tenha feito a fanbase se aproximar mais e ser mais atuante com a banda. Nesse caso, isto não implicaria em um aumento da fanbase geral, mas sim um maior engajamento do lado mais participativo.

 

E o que comprova que não é justamente o contrário? Se interessaram pela música e adicionaram um novo ritmo.

Corrigido.  [:)]

E antes que você responda, eu repito: Dá para gostar de uma música sem se importar com suas letras e mensagem.

E complemento: Dá para gostar dos vocais de uma música sem se importar com o que eles falam.

 

Seria a mesma coisa se eu pegasse uma música que fala literalmente. "Eu amo funk, eu amo funk..." e adicionasse um ritmo diferente só por fazer.

E por que não, ué? Se você gosta da musica e quer experimentá-lo em outros estilos musicais, o que te impede? O que te proibe?

 

Conheço muitos remixes que pegam apenas o refrão de uma música e o fica repetindo pelo remix. Tem uma música chamada Infernal, do Barathrum, que possui quase 15 minutos de duração, e a única palava que falam e ficam repetindo pela música é "Infernal". E os vocais fazem um excelente trabalho em complementar a ambientação que a musica cria.

 

E também, assim como as músicas em si, há vários modos de remixes. Tem aquelas que conservam mais o ritmo original (We're Here With You (Craig Williams)), aquelas que não tem nada a ver com o ritmo original (Look at U (Deadmau5 Remix)), aquela que tem um ritmo diferente e uma letra um tanto modificada (Maestro (Koma & Bones Remix)).

 

E sim, chega a ter vezes que eu acho até que a remix e superior que a música original (Ex: Colorcast vs. Colorcast (Decode Radio (Remix)). E tem também aquelas bem diferentonas como Breakfast in Berlin (The Handclap Situation). E há várias remixes das músicas da banda, é impossível dizer que uma delas não foi feita só por ter um ritmo legal, outra só per ter uma letra legal, ou outra nada por nada, fez por fazer.

 

E quando você se refere aos instrumentais, são de Singles/EPs quase desconhecidos, tem uns aí que nem eu sabia que existiam, então, acaba se tornando ainda mais difícil generalizar quando você mesmo fala que ninguém acompanha a banda. Se nem eu que acompanho sabia disso, então certamente devem existir outros milhares que também não conhecem, principalmente aqueles que nem acompanham a banda.

Isso tudo o que você disse reforça ainda mais a minha visão de que, quando fizeram estes remixes, fizeram por que gostam das musicas, sem que isto necessariamente indique que eles gostem das letras em si.

O fato de que alguns remixes foram feitos sem vocais ou com vocais modificados indica que eles consideraram as vozes em suas escolhas, e não tanto as letras. Mais as vozes como instrumento musical do que como mensagem.

 

Lembre-se, eu não estou falando de casos específicos. Tudo o que eu argumentei até agora foi generalizando.



#60 Solister

Solister

    Yeah, I'm a fool for the Girls and the Parties...

  • Membros do Fórum
  • 3.456 posts
  • LocationCalifornia Noir

Postado 07/05/2017 - 20:08:12

Pode haver uma vantagem, mas isto não quer dizer que o fã causal possua disposição ou vontade de fazer isso, como os estudos que postei demonstram. Eu mesmo, por exemplo, só olho 1 ou 2 vezes por ano para saber se alguma banda que gosto lançou um álbum novo ou não, e este geralmente é o nível de engajamento de um fã casual, isto por que há simpatizantes com ainda menos ritmo de acompanhamento. 

 

Você não entendeu. Eu quis dizer que como eles já possuíam acesso à internet por outras vias (PC Notebook, Tablet, etc), o fato dessas pessoas passarem a possuir smartphones não representa um acréscimo na quantidade de pessoas conectadas.

 

Uma coisa não necessariamente significa a outra, não tem nada óbvio nisso. Não sei o que ocorreu com eles, mas não duvido que o fato de eles quase terem falido tenha causado uma mobilização geral da fanbase fanática, e uma pequena parte dos casuais, para impedir que isto acontecesse. A vezes, pode ser que a fanbase estivesse menos interessada na banda do que atualmente, e este fato tenha feito a fanbase se aproximar mais e ser mais atuante com a banda. Nesse caso, isto não implicaria em um aumento da fanbase geral, mas sim um maior engajamento do lado mais participativo.

 

Corrigido.  [:)]

E antes que você responda, eu repito: Dá para gostar de uma música sem se importar com suas letras e mensagem.

E complemento: Dá para gostar dos vocais de uma música sem se importar com o que eles falam.

 

E por que não, ué? Se você gosta da musica e quer experimentá-lo em outros estilos musicais, o que te impede? O que te proibe?

 

Conheço muitos remixes que pegam apenas o refrão de uma música e o fica repetindo pelo remix. Tem uma música chamada Infernal, do Barathrum, que possui quase 15 minutos de duração, e a única palava que falam e ficam repetindo pela música é "Infernal". E os vocais fazem um excelente trabalho em complementar a ambientação que a musica cria.

 

Isso tudo o que você disse reforça ainda mais a minha visão de que, quando fizeram estes remixes, fizeram por que gostam das musicas, sem que isto necessariamente indique que eles gostem das letras em si.

O fato de que alguns remixes foram feitos sem vocais ou com vocais modificados indica que eles consideraram as vozes em suas escolhas, e não tanto as letras. Mais as vozes como instrumento musical do que como mensagem.

 

Lembre-se, eu não estou falando de casos específicos. Tudo o que eu argumentei até agora foi generalizando.

 

Só que não é isso que acontece na fanbase da Julien-K, é uma fanbase bem ativa. É como disse muito anteriormente, os fãs tem forte relação com a banda, qualquer coisa que quiser perguntá-los, eles respondem em pouco tempo. Aqui um bom exemplo.

 

Note também, a características de quem comenta na página, são pessoas bem similares aqui. Quer outro exemplo? Os seguidores dele no Soundcloud. Tem gente que faz menção a banda na própria foto de perfil, logo se nota que algo que teria de ser bem pessoal da pessoa ela faz referência a banda. Só não vou citar nomes pois já acho isso meio desrespeito, mas é só olhar os seguidores deles que entenderá o que digo e meu estilo de vida.

 

Ué, como a pessoa vai ter Notebook/PC/Tablet se ela mesma se chama de pobre, mora numa favela. Segundo eles, não possuem dinheiro para ter uma casa decente, num bairro médio/alto, mas em compensação, possuem acessórios de ouro, iPhones 7, e modelos super bonitas para aparecerem nos seus clipes. Talvez, o maior problema do funkeiros seja a hipocrisia dele.

 

Bem, eu sou a prova viva disso, se não quiser acreditar que isso é possível, a culpa já não é minha. Aconteceu comigo, certamente aconteceu com um monte de gente também.

 

Depois, você novamente não responde minha pergunta impondo seu argumento. O que não comprova que eles fizeram a música apenas por suas letras? Já demonstrei ritmos totalmente diferentes das originais com as vozes intactas, e você não aceita. Para mim, quando a pessoa faz uma remix, é como se ela pegasse uma inspiração de uma música e fosse refazê-la como se fosse sua.

 

E os exemplos que você dá, não se refletem em relação a Julien-K. É difícil ficar descrevendo tudo à base de texto, se você puder ao menos pegar umas 4 músicas originais da Julien-K e comparar com suas remixes, entenderá o que digo. Preferencialmente, tente escrever um texto descrevendo a comparação de ambas as músicas. Falo isso, pois já tive um trabalho de música assim. Na época eu quase odiava as remixes de música, depois que fiz isso, tive uma outra visão de como são as remixes.

 

E do mesmo jeito que você fala generalizado, eu tento trazer minha visão da Julien-K, e essa pode ser uma exceção entre muitos.






0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos