Coluna: Sonic e Exclusividade. Deu certo?

photo.jpg  Voltando às colunas da Power Sonic, hoje traremos uma coluna escrita pelo Hinz, que é compositor, crítico assíduo e que trabalha com jogos independentes de forma esporádica, além de participar de diversos grupos de discussão sobre o Sonic. Para voltar às nossas colunas, o Hinz vai tratar de um tema polêmico: a exclusividade. Como sabemos, a Sega fez uma parceria com a Nintendo, de exclusividade do Sonic para consoles Nintendo. Dessa leva tivemos alguns jogos de Olimpíadas, Sonic Lost World e mais recentemente o Sonic Boom. Será que a idéia deu certo? Confira a opinião do Hinz a seguir.

Sonic x Exclusividade
Por: Hinz

image001

Antes de iniciar o texto principal, gostaria de fazer um prelúdio para preparar o terreno e objetivar os parágrafos posteriores.

Quando falamos de exclusividade, temos que pensar no que isso significa para o mercado, para o cliente e para a empresa que decide ou trabalha dessa forma através do mercado de console e através do mercado de PC. Especificamente o console trabalha em um nível de diferencial com um hardware estabelecido para uma geração inteira, portanto, precisa que haja um apelo para que ele sobreviva e venda bem até o final de sua geração. Para que isso ocorra, ele deve muito apelar e espremer o hardware. Geralmente quem está encarregado de tal coisa é o título exclusivo, pois a empresa estudará e manterá foco apenas naquela plataforma. Outra coisa que deve ser notada é que o console precisa ter um diferencial do PC para trazer uma outra experiência e apelar para o público  se interessar também. Já o mercado de PC, ele trabalha com a facilidade e é muito mais maleável para podermos trabalhar, sem contar que os preços dos jogos digitais para PC são apetitosos. Geralmente com um hardware bom, é possível concentrar um grande potencial que os jogos multiplataforma oferecem, trazendo uma experiência superior. Isso se deve ao fato de que o PC não tem limite. Você pode fazer upgrade quantas vezes quiser e trocando de PC você ainda tem acesso a esses mesmos jogos.

Exclusividade com Sonic. Quando é bom e quando é ruim?

  Antes de entrarmos no mérito principal, precisamos entender que cada jogo tem um objetivo, cada console pode trazer o que a empresa precisa e as vendas de um console podem decidir se tal jogo poderá ou não ser exclusivo em nível de third-party (empresas que não são subsidiárias). Sonic Unleashed foi um jogo de plataforma que saiu como multiplataforma. O jogo em suas versões de Xbox 360 e PlayStation 3 são consideradas as melhores, mas a versão de Wii foi a que mais vendeu.

  É possível notar a grande diferença entre a versão de Wii do restante. Isso se deve a três fatores importantíssimos: o tipo de público que a Nintendo preserva, a quantidade de consoles Wii vendidos (http://www.vgchartz.com/#Last Generation) e a experiência que o console pode trazer. A Sega acertou em cheio em apostar no Wii durante o seu ápice. Devemos lembrar que se a empresa third acerta a exclusividade no tempo correto, as vantagens são muitas. A própria produtora deixa de fazer a parte de publisher, ou seja, a empresa que fará a publicação arcará com os gastos de propagandas, dará todo o suporte do console e a produto terá gasto apenas com uma plataforma, mas o problema chega justamente quando a empresa arrisca na exclusividade da forma errada.

A diferença para o relatório da Sega Sammy (cabeça por toda a estrutura econômica da Sega) vai de 590.000 do relatório da VGChartz contra 710.000 cópias no relatório da Sega Sammy de 2014, trazendo uma diferença praticamente mínima de 120.000 cópias. A Sega considerou um sucesso em 2013 (data do lançamento de Sonic Lost World) para a quantidade de consoles Wii U vendidos na época, mas mesmo hoje com uma quantidade bem maior de consoles Wii U vendidos, a subida foi apenas de 640.000 para 710.000 cópias. Um fracasso geral.

Observação extra de uma boa jogada com exclusivo quando o Wii estava com grande quantidade de vendas:

É possível, através dos gráficos mostrados e dos links que a exclusividade de uma third-party pode valer a pena apenas quando houver estabilidade e propostas sólidas para que a empresa colha frutos maduros, ou seja, verificar o público principal e os próximos do console, verificar as vendas do console, verificar a proposta do jogo e analisar seu traço estratégico em detrimento ao que foi colocado acima.

10 Comentários ao post Coluna: Sonic e Exclusividade. Deu certo?

  1. R_Chaos disse:

    Boa coluna. Nunca tinha pensado nisso, mas só comprei um Wii e um DS por causa dos jogos exclusivos D:

  2. david disse:

    agora,sonic colors foi quem deu sinais de vida ao ouriço,mas,porque deixa ele exclusico para wii e ds?o jogo é um tremendo sucesso,se botassem para mais consoles o ouriço estaria mais forte com certeza

  3. Darkspinner disse:

    Eu só sei que eu estou muito curioso para ver o que a SEGA fará com o Sonic no ano que vem. Um jogo multiplataforma do ouriço que utilize o poder de processamento do PS4/Xbox One cairia muito bem.

  4. Techno Diogo SdS disse:

    Bom, eu dei uma lida no Planeta Sonic, ao saberem que 2013 foi um sucesso muitos acharam que ”A SEGA estava salvando a NITENDO”, acho que o problema de muitos ”fãs” do Sonic é que eles se precipitam e depois reclamam quando racham a cara.

  5. Antonio disse:

    se for levar em consideração os jogos q mais vendem em cada console o melhor lugar pro sonic e nos consoles da Nintendo,enquanto nos consoles da sony e microsoft o publico prefere jogos realistas com violência e armas de fogo o publico dos consoles da Nintendo gostam mais de jogos no estilo cartoon voltado pra aventura e plataforma.

    o problema do sonic boom n foi a exclusividade e sim a empresa q a sega colocou pra fazer o jogo,tentar fazer um jogo focado somente no publico ocidental foi um erro ja q o sonic tem muito mais apelo pro publico japonês e a sega parece estar mais preocupada com o marketing da serie q com o próprio jogo

    sinceramente acho q no momento a sega deveria entregar o sonic pra Nintendo, a Nintendo soube muito bem trazer os jogos antigos pra era atual com a mesma magia da era 16-bit q e a coisa q os fans do sonic mais pedem

    acho q poderia ser abordado os jogos de portáteis do sonic os de gba e ds são muito bons (n vou falar dos de psp pq ainda n joguei) tbm deveria abordar as notas dos jogos

    se for analisar as vendas dos jogos da Nintendo da pra ver q os jogos continuam a vender ate bem depois do hype do lançamento como animal crossing q mesmo depois de 2 anos de lançamento ainda entra no top vendas semanais do japão

  6. Loham disse:

    faço do comentario do antonio o meu tb 🙂 .

  7. Sergio Ferreira disse:

    “sinceramente acho q no momento a sega deveria entregar o sonic pra Nintendo”.

    Acho que não, não posso comprar um 3DS, nem Wii, tenho PS3 ganhado de amigos.
    Se o Sonic ir para a nintendo, nunca mais eu jogaria um jogo novo do Sonic , já que não sairia para PS3 e nem PC.
    Tem que ser multi-plataforma e pronto.

  8. Carlos CG73 disse:

    Bom… na minha opinião, acho a sega deveria investir mais em jogos multiplataformas. Já joguei todas as versões do Sonic Unleashed, generations, colors e até mesmo os adventures, além do Heroes…

    Acompanho a história do sonic dez de sempre. Ficaria desapontado se houvesse apenas jogos para os consoles da Nintendo… sinceramente acho que o sonic vem perdendo cada vez mais da sua velocidade e ação com o passar dos jogos e a sega deveria investir um pouco mais nisso, não deixar tudo nas mãos da Nintendo. Focar num publico alvo mais amplo.

    O que está faltando é um jogo que possua bom enredo, mecânica, boa jogabilidade mexendo com a história geral do sonic e dos personagens. Inovador a palavra certa, diferente do que vem acontecendo. Os Gráficos podem até não serem “os melhores de todos” mas que conclua seu objetivo e que chame a atenção de grande parte do público alvo, até mesmo para a geração antiga. Levando em conta que muitos ainda não possuem recursos para comprar os novos consoles da geração atual…

    Gosto de quase todos os jogos sonic, mas parece que diversão vem acabando.
    Fiquei triste ao lembrar que os jogos já não são mais como antes, pois o que a maioria dos fans estão fazendo é induzindo a empresa á deixar a franquia parecida com as outras em destaque para ganhar fama, não focando na originalidade. Por isso os fans de verdade não gostam nem um pouco e o sonic “perde sua fama”.

    Mas é claro que é somente a minha opinião…

  9. João Vitor disse:

    Eu acho que a exclusividade foi o que fez o Sonic ficar ruim.
    Qual era a probabilidade da SEGA fazer um jogo ruim depois do Sonic Generations???

  10. Mithsuru disse:

    *Revivendo o tópico
    Vide os novos sonic’s serão para ambos sony ps4/Microsoft XOne e ainda PC
    <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *